Conexão Capivara: Para afastar a “zica”

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), anunciou nesta quinta (21) um megaconcurso para a Educação, com a contratação de 525 servidores municipais. O projeto para a criação destes cargos foi mandado ontem mesmo para a Câmara, em regime de urgência, para que o concurso seja realizado ainda neste ano e os novos funcionários passem a atuar a partir do ano letivo de 2019.

O anúncio foi feito no gabinete, com a presença dos secretários de Educação, Sueli Costa, de Administração, Luís Roberto Thiesi, e outros integrantes de primeiro escalão. Do Legislativo estavam presentes o presidente Jean Charles (MDB) e os vereadores Paulo Pauléra (PP), Cláudia de Giuli (PMB) e Fabio Marcondes (PR).

O objetivo da contratação é reduzir o número de temporários que atuam hoje no setor da Educação. A distribuição ficou da seguinte maneira: serão 495 professores de Educação Básica I (PEB I), com salário de R$ 2,6 mil, 24 coordenadores pedagógicos, com salário de R$ 4,8 mil, três diretores de escola, com salário de R$ 4,8 mil, e três supervisores de ensino, com salário de R$ 6,1 mil. O impacto anual com as 525 contratações será de R$ 25 milhões. Porém, com a dispensa dos terceirizados, o valor a mais que a folha de pagamento terá de suportar por ano será de R$ 7 milhões aproximadamente.

Ainda não há prazo certo para a realização do concurso. Isso porque o projeto criando os novos cargos ainda precisa passar pela aprovação na Câmara, e Edinho já anunciou que quer que isso ocorra antes do recesso parlamentar de julho. Só depois disso é que será contratada uma empresa para elaborar o concurso e, com isso, fazer as contratações para janeiro de 2019.

Um dos pontos abordados na coletiva desta quinta-feira é que os 525 novos cargos vão dar uma folga também à Riopretoprev, que é a previdência que cuida da aposentadoria dos servidores. Hoje, a relação é de um inativo para três servidores da ativa. O concurso fará com que suba de um para quatro.

Thiesi também falou sobre o pedido de contratação de 469 servidores feito pelo secretário de Saúde, Aldenis Borim, e revelado nesta quinta (21) com exclusividade pela Conexão Capivara. O secretário de Administração disse que recebeu ofício de Borim, mas que a folha de pagamento não comportaria as quatro centenas de funcionários solicitados pelo secretário. Segundo Thiesi, praticamente todas as pastas estão pedindo a contratação de novos servidores, mas o momento é delicado em razão da queda da arrecadação e da crise econômica do País. O secretário adiantou, porém, que deverá abrir também concurso para agente administrativo e engenheiro – mas não soube precisar a data.

Não deixa de ser uma notícia positiva para o governo Edinho a contratação de mais de 500 profissionais para a Educação. Em meio a tanto desgaste e falta de recursos, é um respiro para fechar o primeiro semestre de 2018 com um pouco mais de ânimo.

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta sexta-feira (22)