Conexão Capivara: Os apressados

De norte a sul, de PSL a PT, todo mundo está queimando a largada para as eleições presidenciais deste ano. O mais novo capítulo desta guerra eleitoral fora de hora ocorreu na região de Rio Preto, mais especificamente na vizinha Votuporanga.

O advogado Bruno Caires entrou na Justiça para que seja retirado um outdoor (foto ao lado) com suposta propaganda eleitoral de Jair Bolsonaro (PSL). Instalado no domingo (1º) na avenida João Gonçalves Leite, o painel – com os dizeres “pela honra, moral e ética” – é uma clara alusão à campanha de Bolsonaro a presidente. Caires, que é de um escritório especializado em direito público e eleitoral, afirmou que sua representação não pretende “a representatividade de um segmento da sociedade”. Disse ainda que “manifestações contribuem para o processo democrático e o que se pretende nessa ação é o fortalecimento da democracia”, já que a colocação do outdoor seria crime eleitoral.

Segundo a redação dada ao artigo 240 do Código Eleitoral, a propaganda de candidatos a cargos somente é permitida após o dia 15 de agosto. A prática é passível de multa e, quando exorbitante, pode resultar até na cassação do registro ou do diploma.

É claro que os pré-candidatos e os partidos esticam a corda e forçam a barra, na tentativa de fazer propaganda eleitoral sem que ela se enquadre no artigo 240. No caso de Bolsonaro em Votuporanga, por exemplo, não há pedido de voto expresso, nem o partido ao qual pertence e muito menos o número da legenda. Fica, portanto, a critério do juiz eleitoral interpretar se há campanha eleitoral antecipada neste caso. Mas tudo indica que sim.

Mas Bolsonaro não está só na empreitada. O que dizer, por exemplo, da malfadada caravana de Lula pelo sul do País, que teve até o lamentável episódio dos tiros em ônibus? Alguém tem dúvida de que o ato, em si, também pode ser caracterizado como campanha antecipada? O mesmo tem ocorrido com o governador Alckmin, que se licencia do mandato na próxima sexta-feira (6) para ser o pré-candidato a presidente pelo PSDB. Impossível contar as vezes em que o governador tucano esteve na região recentemente para entrega de escolas, creches e assinatura de convênios. Uma agenda que tem se repetido por todo Estado, diga-se de passagem. E sempre recebido por prefeitos, deputados e políticos como o homem “preparado para governar o Brasil”. Campanha antecipada na veia.

A verdade é que nunca antes na história do País os políticos a uma disputa majoritária a presidente se lançaram tão cedo à tarefa de angariar votos e simpatia. O outdoor de Bolsonaro é apenas mais uma peça nesta luta desenfreada – e ilegal – pelo apoio popular bem antes da data oficial das campanhas, em agosto.

Dizem por aí que o apressado come cru. No caso dos pré-candidatos a presidência, a fome que sentem beira é quase patológica, tamanha a sanha com que têm se empenhado no convencimento dos eleitores.

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta terça-feira (03)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS