Conexão Capivara: Marimbondos contra Alckmin

O que não falta na atual Assembleia Legislativa é deputado cuspindo marimbondo contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB). Seja ele da base ou da oposição. Levantamento feito e divulgado pelo jornal O Estado de S.Paulo revela que, desde 2014, o tucano liberou apenas 49% das emendas parlamentares. Cada deputado tem o direito a direcionar R$ 2 milhões do orçamento a programas e entidades à sua escolha. No primeiro semestres de 2017, por exemplo, haviam sido liberados apenas R$ 80 milhões dos R$ 188 milhões prometidos aos deputados estaduais.

Mas ao menos um parlamentar da região não tem do que se queixar. Orlando Bolçone (PSB) aparece no levantamento como o deputado que conseguiu liberar o maior número de emendas nestes três anos e meio: 130 convênios ao todo com prefeituras e entidades, no valor de R$ 6,8 milhões. Bolçone só perde para Estevam Galvão (DEM) em valores totais, já que o deputado do DEM conseguiu que o Estado destinasse R$ 7,8 milhões conforme suas indicações.

À Conexão Capivara, Bolçone afirmou que a liderança no ranking de emendas se deve à equipe que ele formou já com esse objetivo. Secretário de Planejamento em Rio Preto por quase duas décadas, o deputado disse que construiu seu mandato voltado a elaborar e acompanhar projetos de municípios e entidades.

Mas não é só isso, obviamente. Bolçone e Galvão fazem parte da base aliada de Alckmin e isso faz toda a diferença. Apesar de o PT aparecer como o partido que mais emplacou emendas no período, atrás apenas do PSDB, a diferença entre as siglas que dão sustentação a Alckmin e as de oposição é gritante. Legendas que apoiam o governador levaram 86% dos R$ 383,6 milhões liberados desde 2014, restando 14% aos partidos de oposição. Interessante notar que Rio Preto não aparece no ranking das dez cidades que mais receberam emendas parlamentares no período. A lista, claro, é liderada por São Paulo, mas tem como segunda colocada a cidade de Ribeirão Preto. O que mostra que, apesar de contar com três deputados estaduais – além de Bolçone, João Paulo Rillo (PT) e Vaz de Lima (PSDB) -, Rio Preto não está entre as favoritas para receber recursos do governo.

Agora é saber como será a distribuição das emendas a partir deste ano, já que uma PEC aprovada pelos deputados obriga o governo do Estado a liberar cada centavo solicitado pela Assembleia. E mais: cada parlamentar passará a ter o direito de destinar R$ 4,9 milhões em 2018, em vez dos R$ 2 milhões de 2017. Para os deputados, as emendas são um dos principais trunfos na hora de pedir votos. E não é por acaso que esse ágio de 145% cai justamente em um ano eleitoral. De bobos, eles não têm nada.

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta quarta-feira (03)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS