Conexão Capivara: Jean Charles no ringue

Não que o governo Edinho Araújo (MDB) esteja neste momento procurando desesperadamente por um líder de governo dentro da Câmara de Rio Preto. Mas, mesmo se estivesse, não encontraria. Essa é a opinião do presidente do Legislativo, Jean
Charles (MDB), que vê na fragmentação dos vereadores em pequenos grupos parlamentares um empecilho a mais para o prefeito.

Em entrevista nesta sexta-feira (11) à rádio CBN, Jean Charles comentou os percalços enfrentados pelo prefeito dentro da Câmara como, por exemplo, a dificuldade
de derrubar a emenda que proíbe a privatização do Semae. O veto de Edinho está no
Legislativo desde janeiro e até agora não foi à votação. “Às vezes você vai colocar alguém
lá que é para melhorar a relação com o Executivo, mas vai acabar piorando. Eu confesso
que, seu eu fosse prefeito, eu teria dificuldade em encontrar um líder que conseguisse
consenso neste momento. Não é tarefa fácil”, afirmou o vereador.

Jean Charles se disse impressionado com a resiliência de Edinho em assimilar os desgastes que tem sofrido desde que assumiu a Prefeitura em janeiro de 2017. E não foram poucos: fechamento do Ielar, demissão dos Anjos da Guarda, escândalo da Emurb e, mais recentemente, a crise da AACD, entre outros. “O poder dele de assimilar as pancadas é muito forte. Toma pancada, mas está frme e não acusa o golpe”. Seria o prefeito uma espécie de Rocky Balboa?

“Não tenho dúvidas que, ao fnal do quarto ano, a cidade estará com outra cara”, afrmou
o presidente. Por falar em pancada, ele concordou que, há tempos, a Câmara é vista com desconfança pela população. E não sem motivos, na opinião do próprio Jean Charles.
“Muitos vereadores prometem o que não é da sua competência. E a sociedade, por
desconhecer, se ilude e acredita que o vereador é competente para colocar asfalto
na rua, para construir creche e para colocar pediatra no postinho”, disse o presidente da Câmara.

Sobre a segurança pública, sobraram jabs e diretos pra cima do ex-governador
Geraldo Alckmin (PSDB) que, segundo o coronel aposentado da Polícia Militar, sucateou
a PM no Estado. Lembrou que o efetivo da PM é hoje menor que há dez anos, quando
Jean Charles comandava o CPI-5. E disse que falta visão do Estado sobre o real papel da
segurança pública.

Quando o assunto é uma possível candidatura à reeleição do presidente Michel Temer, que também é do MDB, Jean Charles parte para a esquiva. “Eu, se fosse o Michel Temer, não sairia candidato. E não acredito que ele saia”. Perguntado se votaria nele, outra esquivada clássica. “Tem que ser candidato para eu poder analisar. Pré-candidato não tem como pré-votar”, afrmou o vereador. Esse é o papel de Jean Charles desde 1º de janeiro de 2017, quando assumiu a presidência do Legislativo: de um exímio boxeador, que disparava golpes certeiros no ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB), a um agora treinador experiente que assiste do córner a luta se desenrolar dentro do ringue  ou picadeiro – chamado Câmara de Rio Preto.

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta sábado (12)

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS