Conexão Capivara: Issas mexe em vespeiro. E sai picado

Engana-se quem pensa que os ânimos serenaram na Secretaria da Educação desde que Beth Somera foi defenestrada em rebelião interna liderada por diretores de escola, coordenadores pedagógicos, professores e supervisores. O mesmo grupo que procurou o prefeito Edinho Araújo na época pedindo a cabeça da então secretária tenta se articular de novo.

Desta vez, porém, o objetivo é exatamente o oposto. Os insurgentes querem autonomia de voo para a titular da pasta, Sueli Costa, que tem sido tutelada por um “grupo de aconselhamento” presidido pelo secretário de Planejamento, Isarel Cestari. Integram ainda o conselho outros cinco servidores de carreira da Prefeitura, mas nenhum com lastro na Educação.

No domingo, o secretário de Obras, Sérgio Issas, colocou mais lenha nessa fervura ao polemizar no Facebook com profissionais da rede. Os educadores revoltados, resolveram escancarar a revolta no megafone virtual. Tudo aconteceu na página da diretora de escola Kátia Fortunato que, dizendo-se angustiada, postou artigo de jornal falando do corte dos Anjos da Guarda. Acima da imagem, a frase: “Traduz nosso sentimento”.

 

Secretário de Obras provoca reação irada ao comentar post de diretora de escola no Facebook. Diretores, professores, coordenadores e supervisores tentam se articular contra o que chamam de interferência externa na Educação

Eis que Issas resolveu colocar a colher na briga que, aparentemente, não lhe diz respeito: “Pessoal, bom dia. Todos nós temos medo de mudanças. Precisamos ter criatividade pelo momento que estamos vivendo. Vamos quebrar a nossa zona de conforto”, comentou. A reação foi imediata. E irada. “Muito fácil falar em zona de conforto quando não será atingido da mesma forma que nós, Sérgio Issas”, rebateu, em resumo, a educadora Patrícia Guimarães. E completou: “Não fale daquilo que desconhece. Sinto muito se fui dura, mas a indignação é imensa”.

Jaqueline Guimarães seguiu na mesma linha: “Bem fácil argumentar, sugerir, opinar e julgar quando não se está vivenciando na pele. Troque de lugar por uns dias com os profissionais da educação, com salas lotadas. Trabalhe com ventilador quebrado. Jogue comida fora, mas não coma nem um prato”.

Estes são apenas dois exemplos dos protestos em rede social. O problema é que a rede vê Issas como mais um “forasteiro” palpitando na pasta. Ele integrou o primeiro conselho que assessorou Cestari na sua interinidade na pasta e já havia despertado antipatias. O setor é corporativista e não aceita a interferência dos tais “conselheiros” e a pouca liberdade de Sueli, apontada como secretária decorativa. Uma bomba-relógio para o diplomático prefeito desarmar.

 

Tratamento nos Estados Unidos 

O vice-prefeito, Eleuses Paiva, que deixou temporariamente o comando da Secretaria de Saúde para uma cirurgia na vesícula, realizada no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, não deverá encurtar o tempo de afastamento, como era seu desejo. Ele está embarcando nesta quarta-feira, 27, para os Estados Unidos, onde deverá dar sequência ao tratamento de saúde iniciado na Capital. Pessoas próximas ao vice-prefeito não entram em detalhes, mas revelam que, apesar de complicações inesperadas, ele, que é médico, coloca fé numa recuperação relativamente rápida. Eleuses não só pediu exoneração da secretaria que ocupava como licença do cargo de vice-prefeito. Ou seja, não está recebendo vencimentos por nenhuma das duas funções, o que seria natural, já que se tratam de questões de saúde. O prefeito Edinho Araújo já informado de que seu companheiro de palanque, e o responsável pelas políticas adotadas em um dos setores nevrálgicos do governo, estará fora de combate por mais um tempo, ainda não definido.

 

Clique aqui – Confira na íntegra a página impressa deste Segunda-feira(26)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS