Conexão Capivara: Era Eleuses

"A Beneficência absorverá 100 cirurgias que não custarão nada a Prefeitura " - Eleuses Paiva, Secretário de Saúde

Termina hoje, oficialmente, a era Eleuses Paiva (PSD) no comando da Prefeitura de Rio Preto. O vice-prefeito e ex-secretário de Saúde assumiu a administração em 1º de novembro para substituir o prefeito Edinho Araújo (PMDB), que viajou com a família para Espanha. O que era para ser um período tranquilo se transformou em um furacão com o adiamento na Câmara do empréstimo de R$ 203 milhões – que foi aprovado depois – e o acirramento da disputa política entre os vereadores por conta do projeto Escola Sem Partido.

Do ponto de vista administrativo, o médico mostrou que, mesmo afastado, tem atuado nos bastidores em favor da sua ex-secretaria. Um dos pontos mais delicados tem a ver com os recursos destinados à Saúde. De acordo com Eleuses, Rio Preto deve fechar neste ano com 27% do orçamento dedicados à pasta. O prefeito Edinho, porém, quer que esse montante se reduza a 23% em 2018. Algo que o vice-prefeito não concorda. Ele citou que esteve em Ribeirão Preto com o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) e lá a saúde consome 29% do orçamento municipal. Mesmo percentual observado em Piracicaba.
Eleuses também afirmou que, até março, deverá ser inaugurado um laboratório municipal, que traria uma economia de 40% nos gastos da secretaria. O vice-prefeito destaca que, além de melhorar o atendimento – esse laboratório funcionará 24 horas -, vai ajudar a desafogar a demanda na rede pública de saúde.
Politicamente, o vice-prefeito se viu envolvido em uma enrascada durante o período em que administrou a cidade. Foi pressionado por vereadores na última sexta-feira (10), após manifestação do jornalista Julio Cezar Garcia – publicada aqui na Conexão Capivara – contra o Escola Sem Partido. Um grupo de parlamentares liderado por Jean Dornelas (PRB) e Anderson Branco (PR) foi até Eleuses e exigiu a demissão de Garcia, que é assessor especial da Saúde. Para o vice-prefeito, a opinião do jornalista não foi em um momento oportuno por conta do nível de tensão envolvendo a proposta, mas defendeu seu indicado e se disse a favor da liberdade de expressão. Perguntado sobre o que pensava do projeto, Eleuses foi lacônico: “Pela minha história, você já imagina o que eu penso”. Para bom entendedor, meia palavra basta.

Em relação ao futuro político, ele disse que fará uma nova bateria de exames no início de janeiro para saber se está tudo ok com a saúde. E que depois vai consultar o prefeito Edinho e a família se sairá candidato a deputado federal em 2018. “Está igual votação na Câmara: hoje eu não ponho em votação na família porque eu vou perder. Quem sabe depois das festas de Natal e do Ano Novo a família aceita mais”, brincou o candidatíssimo Eleuses.

Confira a na íntegra a página Conexão Capivara deste domingo. CLIQUE AQUI 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS