Conexão Capivara: Eles perderam uma Catanduva de votos

Foto Divulgação

Além de não conseguirem a reeleição, os deputados estaduais de Rio Preto viram sua votação virar pó após a revelação do resultado das urnas no último domingo (7). Somados, Vaz de Lima (PSDB), Orlando Bolçone (PSB) e João Paulo Rillo (Psol) perderam o equivalente a uma Catanduva de votos.

Foram 136 mil votos a menos em comparação à eleição de 2014 – Catanduva tem, de acordo com o IBGE, pouco mais de 120 mil habitantes. Quem mais saiu prejudicado foi Vaz, que viu seus 113 mil votos em 2014 despencarem para 51 mil, mais de 60 mil votos de diferença. Bolçone perdeu menos, mas os números também são maiúsculos: passou de 76 mil para 44 mil.

Rillo, que trocou o PT pelo Psol, também teve um desempenho bem fraco nas urnas, de 76 mil em 2014 para 30 mil neste ano. Beth Sahão (PT), de Catanduva, também não conseguiu a reeleição, mas sua queda foi bem menos acentuada que a dos companheiros: de 63 mil para 54 mil. É claro que o desempenho dos chamados candidatos bolsonaristas contribuiu bastante para o fiasco dos rio-pretenses nas urnas. Janaina Paschoal (PSL), por exemplo, foi a candidata a estadual mais votada em Rio Preto, apesar de não ter ligação alguma com a cidade. Mas não só.

O fato de perderem 160 mil votos revela que a população não reconheceu como essencial o trabalho que eles desempenharam na Assembleia Legislativa. E isso serve de alerta para futuros mandatos não só dos três derrotados, mas também para futuras eleições. No frigir dos ovos, o fato é que Rio Preto, a partir de 2019, está descoberta de representatividade na Assembleia Legislativa. E isso, obviamente, não é bom para a cidade.

 

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta terça-feira (09)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS