Conexão Capivara: Durma com esse barulho

Foto: Alex Pelicer

Estes dois meses e meio que faltam para encerrar o ano serão uma espécie de prova de fogo para a equipe que ficou no comando da Secretaria de Saúde de Rio Preto, com o médico Adenis Borim na linha de frente. São pelo menos dois desafios gigantes pela frente.

O primeiro é de ordem doméstica e vai testar a capacidade técnica e administrativa do grupo. Trata-se da ginástica financeira necessária para fazer o cobertor encolhido cobrir os gastos da pasta. Todo o orçamento previsto para o ano já foi consumido.

O outro grande teste é de ordem política, mas que está diretamente ligado à falta de dinheiro. O médico e seus colaboradores terão um verdadeiro incêndio para apagar, que é o movimento popular que ganha cada vez mais força nas redes sociais contra o fechamento noturno da Unidade de Saúde do bairro Santo Antônio e tem à frente o deputado estadual João Paulo Rillo e o vereador Marco Rillo, ambos do PT.

Enquanto vereadores da situação, como Renato Pupo (PSD) e Pedro Roberto (PRP), tentam sem barulho dizer ao prefeito e ao secretário que a ideia é arriscada, os petistas apostam na pressão popular como única forma de evitar a medida. Nesta segunda-feira, às 19h30, na capela São Paulo, que fica no Santo Antônio, representantes do movimento se reúnem para traçar uma pauta de mobilização. Ou seja, os protestos vão ganhar ainda mais corpo e organização. Tipo de desgaste que Edinho Araújo (PMDB) detesta.

Depois de um curto período com oposição acirrada na Câmara, Edinho conseguiu domar os “rebeldes” e formar uma situação confortável na Câmara. Daí que a estratégia petista, hoje única voz de fato dissonante na Casa, representada por Marco Rillo, é partir para a mobilização popular. Rillo filho tem uma liderança forjada em movimentos estudantis e se mostra hábil neste papel de mobilização popular.

Na Saúde, o discurso é de que a unidade do Santo Antônio não tem demanda noturna que justifique os gastos. Aldenis e sua esquipe são técnicos, todos sem ambições nas urnas, e traçam planos olhando os números sem nenhum prejuízo pessoal. O que não é o caso do prefeito Edinho Araújo. E barulho nas ruas e redes sociais fazem estragos que nenhum político pode mais ignorar…

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta sexta-feira (13)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS