Conexão Capivara: Doria ainda respira

Foto: Divulgação

Em baixa de acordo com a última pesquisa Datafolha, que apontou queda de 9 pontos percentuais na sua aprovação e rejeição de metade dos brasileiros em uma possível aventura a presidente em 2018, o prefeito paulistano João Doria (PSDB) contará com apoio maciço de boa parte do empresariado regional na próxima segunda-feira (30).

Após receber o título de cidadão rio-pretense das mãos do vereador Paulo Pauléra (PP) na Câmara, Doria será a estrela do rega-bofe marcado para 20h30 no Villa Conte. O evento denominado “I Fórum Empresarial de Gestão” terá apenas um palestrante: Doria, claro, que falará a 300 empresários convidados sobre o tema “Práticas Inovadoras na Gestão de Cidades”. O jantar oferecido ao prefeito tem como patrocinadores o Lide (Grupo de Líderes Empresariais), fundado em 2003 e que pertence ao próprio Grupo Doria. Além do Lide Rio Preto, o fórum tem apoio maciço de entidades empresariais da região: Associação Comercial e Empresarial de Catanduva (Ace), Associação Comercial e Industrial de Fernandópolis (Acif), Associação Comercial de Votuporanga (ACV), Associação Industrial da Região de Votuporanga (Airvo), Associação Comercial e Industrial de Birigui (Acib) e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) de Rio Preto.

O evento mostra que, em que pese o desgaste do prefeito paulistano, ele é considerado sim uma opção eleitoralmente viável por boa parte do empresariado para 2018. Verdade seja dita: sua situação político-partidária hoje não é muito diferente daquela no ano passado, quando sua candidatura a prefeito de São Paulo era vista com desconfiança – senão com rejeição – dentro do seu próprio partido, o PSDB. Doria saiu da rabeira nas pesquisas eleitorais e obteve a vitória ainda no primeiro turno. Se os caciques fazem ressalvas ao seu estilo de fazer política e administrar São Paulo, Doria cava seu espaço na sua zona de conforto: o empresariado. E é assim que ele vem tentando se cacifar para a disputa presidencial de 2018, a despeito da ojeriza dos chamados “cabeças-brancas” dentro do ninho tucano. Nem que para isso ele, a criatura, tenha de engolir seu padrinho e criador, o governador Geraldo Alckmin.

Para quem duvida da força de Doria, ainda que arranhado depois dos últimos acontecimentos, o rega-bofe do dia 30 é uma resposta. Afinal, não é qualquer um que recebe título de cidadão por “relevantes serviços ao município” sem nunca ter feito qualquer coisa pela cidade.

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta quinta-feira (26)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS