Conexão Capivara: Domingo é dia de abraço

Amargo

Medidas amargas: foi assim que o prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (PMDB), classificou os recentes cortes adotados pelo município, em especial a demissão de 500 anjos da guarda – o que teve como consequência uma série de furtos e atos de vandalismo em escolas municipais. Em entrevista à Conexão Capivara, Edinho disse que conta com a responsabilidade dos vereadores para a aprovação do empréstimo de R$ 203 milhões, que seriam destinados ao recapeamento asfáltico e a obras de infraestrutura. O prefeito também descartou mudanças no secretariado, disse que a Guarda Municipal está dando conta da segurança nas escolas e afirmou que não vai influenciar uma possível candidatura do seu filho Edinho a deputado federal ou estadual. “Será uma decisão pessoal do meu filho”, destacou. Confira abaixo a entrevista.

Conexão Capivara: Dos R$ 203 milhões que o senhor quer pegar emprestado com a Caixa, quanto desse recurso deve ser destinado para “agradar” os vereadores, atender os pedidos dos gabinetes? Já que o próprio secretário de Governo afirmou que boa parte desse recurso deve ser destinado aos requerimentos, como recapeamento asfáltico.
Edinho Araújo: De forma alguma pretendo contratar empréstimos para agradar alguém. O objetivo é atender as necessidades de novos investimentos no município, seja em obras, asfalto novo, recapeamentos, aquisição de novos veículos para substituição da frota, sempre com a responsabilidade, que é a marca da minha administração. Os investimentos previstos irão transformar nossa cidade. Por isso conto com o olhar, o apoio e a responsabilidade dos vereadores.

Conexão: Em entrevista ao Pinga-Fogo na última sexta-feira (20), na rádio CBN, o secretário da Fazenda ressaltou que a Prefeitura precisa economizar R$ 20 milhões até o último dia de 2017. O senhor já cortou os Anjos da Guarda e reduziu outros contratos. E agora, quais serão os próximos alvos de cortes para chegar a esse número?
Edinho: Não se fala neste momento em novos cortes, mas em economia. É importante frisar que a crise econômica não afeta somente o caixa da Prefeitura de São José do Rio Preto. As prefeituras e os governos federal e estadual passam pela mesma situação. Minha meta neste momento é garantir os salários dos servidores públicos, cumprir com os compromissos com os fornecedores e atender as exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Conexão: Vereadores pressionaram o senhor para participar da regulamentação do Uber? Já que a proposta inicial era regulamentar por meio de decreto e, depois de encontro com vereadores no gabinete, na última terça-feira (17), o governo resolveu encaminhar a proposta ao Legislativo.
Edinho: A regulamentação do Uber e de outros aplicativos passará por um amplo debate. Em nenhum momento afirmei que ocorreria por meio de decreto. A propósito, pretendo aguardar a votação do projeto sobre o mesmo assunto no Congresso Nacional, prevista para a próxima semana. Vamos analisar a lei aprovada em Brasília para servir de modelo e de possíveis aprimoramentos na regulamentação do serviço em nossa cidade.

Conexão: Sabemos que os próximos meses de verão abrem a ‘estação das águas’ em Rio Preto. A cidade está devidamente preparada para a nova temporada de enchentes? Ou os comerciantes da avenida Bady Bassitt já podem começar a calibrar os botes?
Edinho: As obras antienchente foram planejadas e executadas nos últimos anos com o objetivo de diminuir o máximo possível os danos causados no período chuvoso.

Conexão: A propósito de enchentes e avenidas, a partir desta segunda (23) não será mais permitido estacionar na Alberto Andaló para não tumultuar os corredores de ônibus. O que mais o rio-pretense pode esperar de novidade em mobilidade urbana até o final deste ano?
Conexão: Sobre os constantes saques que têm ocorrido nas escolas públicas após o fim definitivo do turno dos ‘anjos’, o senhor não tem medo que esse ‘deslize educacional’ possa depor contra suas intenções de voto nas próximas eleições?
Edinho: Não estou preocupado com eleições. Tenho quatro anos para governar para todos os rio-pretenses. Tenho um programa de governo aprovado no 1º turno pela população de nossa cidade. Não é o que gostaria, mas medidas amargas às vezes são necessárias para garantir a governabilidade e o caixa em ordem.

Conexão: Ainda sobre a educação, desde o corte dos Anjos da Guarda, quase dez escolas da rede municipal foram alvos de criminosos, os quais deixaram prejuízos consideráveis, principalmente aos alunos. Quais medidas o governo está tomando para evitar que esses problemas continuem, já que pelo visto apenas a ronda da Guarda Municipal não está sendo suficiente para garantir a integridade das unidades?
Edinho: A Secretaria da Educação registra seis casos de furtos e duas depredações em escolas da rede de mais de 140 prédios escolares. Todos estão dotados de sistema de alarme e monitoramento. O trabalho da Guarda Municipal tem sido muito importante, tanto na prevenção, nas entradas e saídas dos turnos, quanto nas noites e fins de semana. Este trabalho será ampliado e aperfeiçoado. Estão em andamento estudos para a montagem de um sistema integrado de monitoramento online em todas as escolas, através de câmeras de longo alcance.

Conexão: O senhor vive um céu de brigadeiro na Câmara. Com exceção de José Carlos Marinho, Gerson Furquim e Marco Rillo, todos os demais se dizem da base aliada. É muito chato não ter oposição no Legislativo?
Edinho: Legislativo e Executivo são poderes independentes, porém harmoniosos.
Conexão: O senhor cogita chamar um vereador para ocupar cargo de secretário a partir do próximo ano?

Edinho: Mudanças no secretariado estão fora de cogitação.
Conexão: Falando em próximas eleições, é verdade que seu filho homônimo estaria sendo ‘cozinhado em banho maria’ para virar ‘pudim’ em 2018? O senhor vê no seu primogênito as qualidades essenciais para um bom representante da população nas esferas do poder político?

Edinho: Caso seja candidato, a deputado federal ou estadual, ou mesmo não queira concorrer, será uma decisão pessoal do meu filho.
Conexão: Prefeito, quem escolhe os looks do senhor? São opções pessoais ou a dona Maria Elza ajuda?
Edinho: A Maria Elza é uma grande companheira, que me dá sugestões e opiniões sobre a dia-a-dia da cidade e executa um excelente trabalho à frente do Fundo Social. Não estou preocupado com looks.

Clique aqui e confira na íntegra a página impressa deste domingo

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS