Conexão Capivara: Dom Otacílio pede para sair

Foto Divulgação

O pedido de renúncia de dom Otacílio Luziano do posto de bispo de Catanduva, aceito pelo papa Francisco, é mais um tremor na turbulência sem fim pela qual passa a Igreja Católica na região.

A saída de dom Otacílio, cujos motivos não foram informados pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), tornou-se pública no site do Vaticano na manhã desta quarta (10).

E pegou a todos de surpresa, poque o foco neste momento estava na crise interna vivida pelo bispo de Rio Preto, dom Tomé Ferreira da Silva, alvo de investigação interna ordenada pelo papa, na qual é acusado de se omitir em supostos casos de pedofilia envolvendo padres sob sua responsabilidade.

Há pelo menos três anos, dom Tomé vem sofrendo ataques internos de padres opositores. Nas últimas semanas, ele renunciou a dois postos importantes dentro da Igreja: Tribunal Eclesiástico e coordenador regional da CNBB na região.

Em Catanduva, dom Otacílio também vinha sofrendo oposição de padres subordinados a ele, que não aceitaram mudanças que ele tentou promover internamente por ordem do próprio vaticano algum tempo atrás.

Chegou a polemizar há 3 anos publicamente com padre Osvaldo de Oliveira Rosa, uma espécie de celebridade religiosa local pelas obras sociais que mantém na cidade. Em 2015, dom Otacílio chegou a se afastar por motivos de doença. A renúncia, no entanto, não teria essa motivação. O bispo deverá voltar a atuar como padre em outra região.

Até que o substituto seja anunciado, o novo administrador provisório da Diocese de Catanduva será dom Eduardo Benes Rodrigues, arcebispo emérito de Sorocaba (SP).

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS