Conexão Capivara desta sexta-feira (31)

ISSO É ROBERTO JEFFERSON  -Pivô do escândalo do mensalão, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, foi uma das estrelas quinta-feira (30) do XI Congresso da AMA. Elogiou a Operação Lava-Jato – “é uma investigação jurídica, e esse jovem juiz Sergio Moro é de uma coragem monstruosa” -, mas atacou o procurador-geral Rodrigo Janot – “ele usa as denúncias como bandeira de promoção pessoal para ser governador de Minas Gerais, o que é muito ruim”. Sobraram farpas ao PT ao comentar o governo Michel Temer. “O Temer tem feito um bom trabalho na área econômica. Mas não é popular, mesmo porque traz um desgaste e uma desgraça que foi o governo do PT”, disse Jefferson. Pré-candidato a deputado federal em 2018 pelo PTB, ele ainda falou sobre o mensalão. E, claro, voltou a cutucar os petistas. “O mensalão era a ponta do iceberg, o prefácio da triste história que o PT implantou no país”, encerrou.

Análise – Garfadas, bebericos e indigestão

Foi com pizza, vinho e muito afago que o prefeito Edinho Araújo (PMDB) consolidou na terça-feira (29) uma base aliada para chamar de sua. O B12 (o B é de “base aliada”) se reuniu na pizzaria San Remo, uma espécie de bunker gastronômico do prefeito. A reunião pós-sessão da Câmara esteve longe de ser fortuita, como quis dar a entender o governo. Foi sim para celebrar a nova fase no relacionamento de Edinho com a Câmara, após o esfacelamento do G9 que tirava o sono do prefeito. O G9 encolheu para G4: Fabio Marcondes (PR), Paulo Pauléra (PP), Gerson Furquim (PP) e José Carlos Marinho (PSB) não deram as caras. Marco Rillo (PT) também jantou em casa. O clima era festivo com o prefeito, mas não entre os vereadores. Francisco Júnior (DEM), novo amigo do rei – para usar uma expressão de Anderson Branco (PR) -, ainda está de cara virada com Renato Pupo (PSD) e demais parlamentares que pediram sua cassação por fraudes no Auxílio Atleta. Mas nada que estragasse o apetite de Edinho e do seu fiel escudeiro, o secretário de Governo Jair Moretti. Por falar em Moretti, não por acaso na última segunda-feira (28) foram retomados os encontros semanais dele com os parlamentares.

Importante lembrar que, há algumas semanas, o bate-papo com Moretti (dá até nome de programa de TV) estava tão esvaziado que chegou a ser suspenso. Não existe problema moral, legal ou ético nesta manifestação pública de afago em uma pizzaria.

Cada parlamentar é livre para declarar apoio ou oposição ao governante de plantão. O que preocupa é a possibilidade de o B12 se transformar num grupo cego e ferino, submisso integralmente aos interesses do Executivo. É só lembrar a vassalagem que correu solta durante os oito anos de mandato do ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB). Por mais que houvesse suspeitas de fraudes e irregularidades, nada foi investigado. Foi só o rei perder a coroa que surgiram denúncias gravíssimas nas CPIs do Auxílio Atleta e do Lixo, instaladas nesta legislatura. Ok em ser governista, é parte da democracia, mas sem dar as costas aos malfeitos do governo. Que esse cardápio regado a pizza, vinho e politicagem não cause indigestão ao rio-pretense.

Confira na íntegra a página impressa da CONEXÃO CAPIVARA desta sexta-feira (31) – Clique aqui 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS