Conexão Capivara: De pai para filho

O candidato é o filho, mas o resultado da votação em outubro será um teste para o pai. Desde que Edinho Filho (MDB) anunciou sua pré-candidatura a deputado estadual, o foco se voltou para o prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB).

Pela primeira vez Edinho Filho se arrisca nas urnas. Nunca sequer ocupou qualquer cargo, seja no município, no Estado ou no governo federal. Aos 35 anos, sentiu que essa é a hora certa, caso queira herdar o capital político do pai – que tem mais de 40 anos de vida pública e próximo da aposentadoria. E é justamente o prefeito que terá de fazer diferença na aventura eleitoral do filho. Edinho Araújo, claro, já se envolveu em outros apoios eleitorais. Mas o deste ano terá um desafio especial, e não só por tratar do seu filho.

O prefeito sabe que o voto em Edinho Filho é um voto de confiança nele próprio. E Edinho Araújo passa por um momento difícil na administração, com problemas financeiros e políticos – entre eles o corte de repasses municipais para a AACD e o inquérito dos Portos. Mais importante até que a eleição do filho é saber como será a votação dele nas urnas – um resultado que pode ser desastroso ou animador para a carreira política de ambos.

Em entrevista à Conexão Capivara, o pré-candidato a deputado Edinho Filho afirmou que vai se utilizar da experiência na articulação da campanha do pai para fazer a sua própria campanha. Sobre o apoio do prefeito, disse que o foco de Edinho Araújo é a administração municipal, mas que aposta na heran- ça e no patrimônio político do pai para se eleger. Deixou claro que o prefeito de Rio Preto é mesmo seu grande cabo eleitoral, a quem chama de “ídolo” e “exemplo para quem quer ingressar na vida pública”.

Em relação a possíveis dobradas, Edinho Filho cita o vice-prefeito afastado Eleuses Paiva (PSD), pré-candidato a deputado federal. Confira abaixo a entrevista de Edinho Filho:

 

Conexão Capivara: Por que só agora, aos 35 anos de idade, o senhor mani- festou interesse em ocu- par um cargo eletivo?

Edinho Filho: “Senhor” não, por favor, me chame de você. Essa decisão será tomada no momento opor- tuno, esse é o momento de avaliação do cenário polí- tico. Estou buscando meu espaço dentro o MDB, con- versando com lideranças locais, regionais e amigos. O mais importante eu já tenho, o apoio da família. Trabalhei ativamente nas três últimas campanhas do prefeito Edinho (2010- 2014-2016), creio que eu tenha adquirido um pouco de bagagem e experiência eleitoral, gosto de política. Agora com 35 anos de ida- de, meus filhos já têm uma certa compreensão que as ausências poderão ocorrer e vejo uma boa oportunida- de para iniciar essa trajetó- ria.

Conexão: Esta foi uma decisão pessoal ou sofreu influência de seu pai, o prefeito Edinho Araújo, e de sua mãe, dona Maria Elza?

Edinho Filho: Trata-se de uma decisão pessoal, mas que passa pelo crivo fami- liar, tanto dos meus pais, es- posa, irmãs e filhos.

Conexão: Pré-candi- datos a deputado já es- tão trabalhando em suas respectivas candidaturas desde o ano passado. O senhor tem feito encon- tros com outros políticos e prefeitos para formar sua base eleitoral?

Edinho Filho: Deputados estaduais que buscam a re- eleição estão trabalhando em suas candidaturas desde o primeiro dia de mandato, pois possuem estrutura para isso. Tenho conversado com lideranças, amigos e polí- ticos de Rio Preto e região. Com o encerramento da janela de transferência tere- mos um cenário mais claro de como os partidos estarão.

Conexão: Quem são as pessoas que formam seu grupo íntimo de apoio ou que têm incentivado a construção de sua carreira política?

Edinho Filho: Os que me apoiam e incentivam são colegas, membros partidários e amigos. Tenho tam- bém o apoio irrestrito da minha família. Sempre ouço de colegas: e aí? Quando poderemos votar em você? Vai ser estadual ou federal? Decidiu?

Conexão: Qual será, efetivamente, o papel do seu pai na campanha elei- toral do senhor?

Edinho Filho: Meu pai está inclinado integralmen- te à administração muni- cipal. Seu objetivo é fazer um governo melhor que os anteriores, e eu acredito e confio que certamente isso ocorrerá. Temos o mesmo nome, e pretendo me valer dessa “herança” e “patrimô- nio” político. Ele é um ídolo e exemplo a ser seguido por todos que pretendem in- gressar na vida pública.

Conexão: Com quais candidatos a deputado fe- deral o senhor se sentiria confortável para uma pos- sível dobrada?

Edinho Filho: Tenho con- versado com vários pré- -candidatos a deputado fe- deral, inclusive de legendas diferentes, e uma dobrada eventual ocorreria com o dr. Eleuses.

Conexão: Fala-se mui- to em “o novo” nestas eleições. Sem dúvida, o senhor é jovem para o universo da política. Por que acha que poderia re- presentar também esse “novo” tão desejado em termos de prática política?

Edinho Filho: Creio que o “novo” não está ligado só à idade, mas à atitude, vigor e desejo de realmente ser um agente de mudança do ce- nário político. Temos que re- novar e, para isso, a popula- ção em geral precisará fazer uma profunda reflexão em seu voto, pois, caso contrá- rio, serão mais quatro anos do mesmo. Temos que levar até a população o conceito de voto consciente, visando ao interesse coletivo e ao bem comum.

Conexão: Como corre- ligionário do presidente Michel Temer, o senhor acredita que ele deve dis- putar as eleições deste ano?

Edinho Filho: Acredito que ele está enfrentando um grande desafio à frente do executivo federal, e tem tentado promover as refor- mas estruturais para o país se desenvolver. Quanto a ser candidato à reeleição caberá a ele e seu grupo político decidirem; fiel à mi- nha agremiação, irei acatar e apoiar a decisão tomada.

Conexão: Se o senhor tivesse de se definir ideo- logicamente, o senhor se apresentaria como de di- reita ou de esquerda? Por quê?

Edinho Filho: Não vejo os extremismos partidá- rios como solução para a política atual, nem simpa- tizo com ideias radicais. As divergências ideológicas sempre existiram e existirão, pois vivemos em um Esta- do Democrático de Direito, mas é necessário respeitar as opiniões adversas, e fazer uma reflexão sobre qual a melhor solução para o in- teresse público. Quero me pautar pelo bom senso e na defesa do desenvolvimento regional e da cidadania.

Conexão: Como cidadão, como o senhor vê a prisão do ex-presidente Lula?

Edinho Filho: Como cida- dão é constrangedor ver um ex-presidente da República na prisão. Trata-se de um político que governou por dois mandatos esta nação e conseguiu eleger e reeleger sua sucessora. Acredito em nosso poder judiciário; Lula teve direito ao contraditório e ampla defesa, tanto em primeiro como em segundo grau de jurisdição. A decisão judicial é soberana e deve- mos respeitá-la.

Conexão: Em tempos de tantas desconfianças em relação aos políticos, por que o senhor acha que merece o voto de confian- ça do eleitor para entrar na política?

Edinho Filho: Estamos em um período de mudan- ças e pretendo colocar meu nome à disposição dos elei- tores. Sou filho de um ho- mem público que não faz negócio na política, que en- xerga a política como ferra- menta para melhorar a vida das pessoas. Esse será meu caminho, pautado na ética, caráter, honestidade e vi- sando sempre ao interesse público.

 

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta domingo(15)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS