Conexão Capivara: Bode expiatório

Caiu integralmente sobre as costas do vereador Renato Pupo (PSD) o adiamento do empréstimo de R$ 203 milhões, proposta que estava na pauta da sessão da última terça-feira (31) na Câmara de Rio Preto. O projeto é a principal aposta do governo Edinho Araújo (PMDB) para tentar reverter os desgastes na sua imagem perante à população – incluindo aí a demissão dos Anjos da Guarda, que gerou uma onda de furtos e vandalismo nas escolas, e o possível fechamento da UPA Santo Antônio durante a madrugada.

Marco Rillo (PT) embebeu o estopim em gasolina, quando propôs emenda exigindo maior controle financeiro na aplicação dos recursos que deverão vir da Caixa Econômica Federal. Mas foi Pupo quem acendeu o barril de dinamite ao dar parecer favorável à emenda, enquanto membro da Comissão de Justiça e Redação, e defender a sua aprovação no plenário.

“Ele jogou para a plateia. Nós não temos compromisso nenhum com o governo, ele é que tem a obrigação de defender o prefeito, tem cargos na administração e é da base aliada. Só que passou o desgaste para gente”, reclama Paulo Pauléra (PP), autor do pedido de adiamento da votação.

Explica-se: durante a análise da emenda de Rillo, munícipes nas galerias vaiavam quem se posicionava contra e aplaudiam de maneira efusiva os favoráveis. Pupo, que é um dos principais defensores de Edinho, seguiu a galera e se disse a favor da mudança. O posicionamento do vereador do PSD irritou profundamente os parlamentares da nova base aliada – o falecido G9 -, que resolveram pedir o adiamento do projeto para, nas próprias palavras de Pauléra, “mandar recado”.

Ainda que o objetivo desses vereadores seja o de fritar o parlamentar do PSD, o desastre na votação da última terça-feira tem sim, em boa parte, o dedo de Pupo. Tanto que levou uma reprimenda do aliado e presidente da Câmara, Jean Charles (PMDB): “Você viu o que você fez?”, afirmou o coronel, em tom nada amistoso. O próprio secretário de Governo, Jair Moretti, também não perdoou o vereador aliado: disse que a emenda de Rillo era absurda e que Pupo deveria ter analisado melhor antes de defender a aprovação em plenário.

Ontem (01), Moretti esteve no gabinete de Pauléra e ficou acertado que o empréstimo de R$ 203 milhões volta à pauta da sessão da próxima terça-feira (7). O próprio Edinho enviou mensagem ao vereador solicitando a aprovação urgente da proposta. Desta vez, deve passar sem muitos sustos. Mas o final feliz para o governo também estava previsto para sessão do último dia 31 – aliás, Dia das Bruxas. Resta saber se na próxima terça já enjaularam a dita cuja ou se ela continua solta por aí – para desespero de Edinho.

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta quinta-feira (02)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS