Conexão Capivara: AACD no alvo da Saúde

A Secretaria de Saúde de Rio Preto concluiu nesta quarta-feira (6) auditoria na AACD e diz ter constatado que a instituição, voltada ao acompanhamento de crianças com deficiência física, não está cumprindo o número de atendimentos previsto no contrato com o município.

Pela parceria, a secretaria repassa R$ 100 mil de subvenção social à AACD mensalmente. Em contrapartida, esta se compromete a prestar serviço a 50 pacientes com domicílio em Rio Preto, mais a introdução de cinco novos casos. De acordo com a secretaria, os auditores constataram que o volume atendido, no entanto, chega a 30% do contratualizado. A entidade foi notificada para, em cinco dias, se justificar, sob a ameaça de suspensão dos pagamentos.

Trata-se, sem dúvida, de outra bomba detonada dentro da Secretaria de Saúde com forte poder de mobilização política. E esta já começou na Câmara dentro da própria base do governo. Na defensiva, a entidade pediu socorro a vereadores. Uma reunião está marcada para a tarde de hoje com as presenças do secretário Adenis Borim, da diretora da AACD, Adriane Cirelli, e dos parlamentares governistas Claudia de Giuli (PMB), Renato Pupo (PSD) e Jean Charles (PMDB).

A vereadora Cláudia, porém, não conseguiu esperar. Ontem mesmo ela questionou Borim, durante reunião na Câmara, onde o secretário foi falar do fechamento da UPA Santo Antônio no período da madrugada. A vereadora, que vem acompanhando a história desde que a entidade foi comunicada sobre a auditoria, diz que AACD pode estar sofrendo um processo proposital de esvaziamento. “Eles me dizem que não atendem porque a demanda deveria ser encaminhada pela secretaria, o que não está ocorrendo”, afirma.

O secretário de Saúde diz que, diferentemente do que se ventilou durante toda a tarde de ontem, não houve suspensão de recursos ainda, mas apenas uma notificação. E que vai repassar com a entidade, na reunião de hoje, todos os números, mês a mês, de pacientes encaminhados e atendimentos realizados. Ainda segundo Borim, o objetivo é achar a melhor solução. Em meio a fatos e boatos, o que se vê é ainda reflexo do trauma provocado pelo fechamento do hospital Ielar.

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta quinta-feira (07)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS