Conexão Capivara: 4 bilhões de motivos contra o reajuste

Foto: Divulgação

Definitivamente, não são apenas pelos R$ 6 mil. A proposta dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de elevar seus próprios salários dos atuais R$ 33 mil para R$ 39 mil – reajuste de 16,38% – vai provocar um efeito cascata nas contas públicas de incríveis R$ 4 bilhões. Isso considerando Executivo, Legislativo, Ministério Público e os Estados. A estimativa do impacto causado pelos meros R$ 6 mil para cada um dos 11 ministros foi feita por consultorias da Câmara dos Deputados e do Senado.

O aumento foi anunciado nesta quarta-feira (8) após a aprovação do orçamento do STF para 2019. A proposta ainda precisa passar pelo Congresso Nacional antes de entrar em vigor.
Mas de onde vem esse impacto gigantesco? Ocorre que o aumento influencia no teto do funcionalismo. Com isso, servidores que já estão com os salários lá em cima vão passar a incorporar também os R$ 6 mil que serão destinados aos ministros. Sem contar outras categorias que têm seus vencimentos atrelados aos subsídios do STF.

O efeito-cascata será catastrófico não só para a União, que já tem um déficit estimado de R$ 139 bilhões para o ano que vem, mas sobretudo para os Estados, sendo que muitos deles estão com dificuldade em honrar já agora a folha de pagamento do funcionalismo.

Num momento de crise profunda, no Brasil, com 13 milhões de desempregados, chega a ser um abuso o reajuste solicitado pelos ministros do Supremo. Por duas questões: que categoria nos últimos anos teve um reajuste salarial de 16,38%? Não bastasse isso, os R$ 4 bilhões de impacto nas contas públicas para um País à beira da falência é vergonhoso. Lembrando que esse dinheiro necessariamente precisará vir de algum lugar – que seja de investimentos da Saúde, Educação ou Segurança Pública. Ou então, como apontou o relator do orçamento de 2019, Dalírio Beber (PSDB), levar ao aumento de impostos.

Seria esperar demais dos nossos deputados federais e senadores que votassem contra esse disparate. Afinal, boa parte do Congresso está metida em enrosco no próprio Supremo e eles acreditam que, votando contra o reajuste, poderiam criar uma situação adversa para eles mesmos. Então a tendência que os 16,38% sejam concedidos na íntegra.

O problema não é os R$ 6 mil, mas os R$ 4 bilhões. E todos nós, contribuintes, é que vamos pagar essa conta. Mais uma presepada contra a população, e desta vez aprontada pelos digníssimos ministros do Supremo.

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta sexta-feira (10)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS