Concurso estimula criatividade, resgate da ‘comidinha de terra’ e combate ao Aedes

Não é preciso muito para começar uma brincadeira, na simplicidade do universo das crianças, para isso bastam poucas coisas para se tornar, por exemplo, uma mini chef de cozinha com ingredientes bem tradicionais, nas culinárias infantis, as comidinhas de terra que também, por ora, são feitas em um fogão de barro.

A riqueza da infância e o contato com a natureza precisam de atenção para que os brinquedos não virem da dengue. Brincar é necessário, mas recolher os brinquedos e não deixá-los espalhados pelo quintal é preciso, pensando em resgatar a verdadeira brincadeira e aliar o combate ao mosquito Aedes aegypti, equipes da coordenadoria do Meio Ambiente e a Secretaria de Saúde de Ubarana promovem o concurso ‘Cozinhando no quintal’.

Dhoje Interior

“É o primeiro concurso que estamos fazendo, como estamos em uma época de chuva o cuidado é redobrado para evitar focos de criadouros de dengue. Nós já fazemos o trabalho de orientação na escola, entrega cartilha, mas a gente acaba esquecendo do brinquedo que, às vezes, fica jogado durante uma semana ou duas semanas. Então mudamos o foco fazendo esse concurso de comidinha e cozinhando no quintal para despertar na criança a responsabilidade de brincar e depois ter que recolher esse brinquedo para não virar um criadouro de larvas”, explica a bióloga da Vigilância Sanitária de Ubarana, Sheila Silva.

Ela ponderou ainda que, “além de todo o cuidado com os focos de dengue a gente trabalha com os cuidados com o quintal, da água e também da questão pedagógica de resgatar a brincadeira”.

As irmãs Helôise, de sete, e Júlia, de quatro anos, estão participando do concurso. As meninas levaram a sério a brincadeira e fizeram verdadeiras obras de arte no quintal de casa. “Pra nós foi algo diferente porque aqui como tenho medo de deixá-las brincando sozinhas no quintal eu acompanhei tudo o que pegavam. Me perguntava se tinha espinho, se era venenoso, eu percebi que nós quando éramos menores tínhamos poucos brinquedos e muita criatividade. Já eles são o contrário. Têm muitos brinquedos e não sabem criar quase nada com os próprios brinquedos”, diz a mãe, Rafaela Malavasi da Silva.

Rafaela ponderou ainda que “essa semana a Sheila passou falando sobre o projeto, que eles poderiam cozinhar usando o que encontrassem no quintal e que depois de brincar, era pra que elas guardassem os brinquedos certinho pra não virar criadouro de dengue”.

Segundo Sheila Silva, comidinha feita pela criança deve ser fotografada e enviada para as equipes. “As fotos devem ser enviadas até o dia 6 de março. Os prêmios serão mais brinquedos e bolos de verdade. Ao todo, serão cinco prêmios para a foto mais curtida na página Ambiente Ubarana”, finaliza.

Por Mariane Dias