Comerciantes de Olímpia apostam em promoções para vender mais

Foto: Isabela Martins.

As vendas do comércio olimpiense estão em baixa, o que, segundo o setor, é algo normal para o período. Depois dos gastos no Natal, consumidores costumam aproveitar janeiro para deixar as contas em dia e realizar compra de material escolar. Para melhorar as vendas, lojistas da cidade decidiram apostar em promoções.

A empresária Priscila de Maria é proprietária de uma loja de roupas, masculina, feminina e infantil que fica localizada no centro de Olímpia. 

“Em janeiro as vendas caem, o pessoal do comércio sente um pouco, aproveitamos para lançar promoções, dar um bom desconto. Em fevereiro, as vendas começam aumentar novamente por conta também do Carnaval”, explica.

As lojas que vendem materiais escolares são as que têm um lucro maior neste período, mas também aproveitam para colocar preços especiais para atrair mais clientes.

Os descontos nas lojas vão de 15% a 50%. O  presidente Flávio Vedovato, da Associação Comercial e Industrial (ACIO), responsável do Sincomércio na subsede, afirma que “em relação as vendas de janeiro nós temos dois segmentos bem diferenciados que é o  de varejo de produtos pessoais, roupas, calçados, enfim, e esse segmento está antenado nas promoções, liquidações. Várias lojas e empresas de Olímpia estão fazendo liquidação dos saldos que evidentemente restaram alguma ponta de estoque referente a 2019. O movimento é diferente dos últimos meses, no fim de ano que foram aquecidas por conta do 13º, bônus, trabalhos temporários, fluxo de visitantes. Então agora é bem diferente, janeiro é o mês do IPVA, IPTU e volta às aulas”.

E conclui, “a procura por material escolar está grande, temos muitas empresas nesse segmento. Supermercado também se mantém regular, lojas de materiais de construções. É segmentado. A ACIO está trabalhando no planejamento do calendário de 2020 e também  nas inscrições de cursos e palestras. E há uma campanha que iremos lançar em fevereiro para fortalecer o varejo e economia da nossa cidade”.

Por Isabela Martins 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS