Comer, Beber e Afins: Vem aí a Temporada Toscana na Corsini 27

A Corsini 27: em novo endereço, agora mais ampla

A Corsini 27, uma padaria que produz pães e massas frescas artesanais, está preparando sua Temporada Toscana, que vai acontecer a partir de quarta-feira (15) e vai até 31 de agosto. O objetivo é apresentar para Rio Preto os sabores trazidos especialmente da região mais charmosa da Itália, com massas frescas e produtos de fermentação natural. Os clientes poderão degustar pratos como o Tortelli Mugellani, Arista Arrosto, Pane Toscano, Cantuccini com vinho e Schiacciata, entre outras delícias da Toscana. Os pratos serão servidos no almoço e para delivery.

O filé Arista Arosto será servido na Temporada Toscana

A empresária Ana Luiza Campos e seu marido Francisco Campos, moraram durante 10 anos em Barberino di Mugello, na Toscana (na Itália) e trouxeram de lá a expertise em produtos de fermentação natural e fabricação de massas italianas. O point oferece também pães veganos e produtos industrializados.

A Corsini 27 fica no bairro Vivendas e produz pães artesanais e outros produtos italianos 100% naturais há 7

O Tortelli Mugellani também integra o cardápio da Temporada Toscana

anos. A casa já oferece a opção de almoço executivo e agora vai incrementar o cardápio com produtos típicos da região onde moraram durante a Temporada Toscana.

A Corsini (que surgiu como padaria) iniciou o ano como restaurante, em um ponto mais amplo, ao lado do antigo endereço, na Avenida Benedito Rodrigues Lisboa, 2.450. O almoço executivo lá tem preço suave: R$15,90.
Para encomendas e informações, ligue: (17) 3364-3224 ou (17) 98115-4430.

 
Ana Luiza Campos

Ana Luiza Campos está em Rio Preto há 7 anos

Ela é especializada em pães artesanais, estudou na Scuola di Rovigo com estágio em Borgo San Lorenzo. Está há 7 anos em Rio Preto, depois de passar 10 anos morando na famosa Toscana, na Itália. É paranaense, de Londrina, tem 48 anos e escolheu São José do Rio Preto para morar, criar seus filhos e instalar sua padaria. A opção pela capital dos grandes lagos foi por sua “localização estratégica e qualidade de vida”. O nome do empreendimento é o endereço onde ela residia no município de Barberino di Mugello, em Firenze (região da Toscana), a Corsini, 27.

Comer, Beber e afins em Rio Preto – Vocês escolheram Rio Preto numa lista de cidades. Valeu a pena?
Chef Ana Luiza Campos – Foi a escolha correta. Queríamos uma cidade aonde criar os nossos filhos com boa qualidade de vida, que fosse bem localizada para termos bom abastecimento e diversidade de fornecedores e também estar próximos da família. Estamos felizes com nossa escolha.

Comer, Beber e afins – Panificação para você é um trabalho, uma paixão, um ofício?
Ana Luiza – Sempre gostei de pães e farinhas e por onde viajava queria provar produtos diferentes. Na Itália a paixão se intensificou e então com o apoio do meu marido (que é Chef), fiz um “Corso Dell ‘Arte Bianca”, e me tornei uma profissional desta área. A escolha de ter uma padaria artesanal veio comigo da Itália para unir a paixão ao trabalho.

Comer, Beber e afins – A Corsini 27 foi a primeira padaria com produtos artesanais a surgir em Rio Preto. Como a cidade recebeu esta opção?
Ana Luiza – As pessoas foram receptivas. Algumas já conheciam os nossos produtos mais italianos por viajarem a Europa e tiveram a oportunidade de apreciar aqui conosco, já os que não conheciam ficavam curiosos, experimentara e passaram a gostar.

Comer, Beber e afins – Qual é o diferencial do pão artesanal para o pão industrializado ?
Ana Luiza – Os nossos produtos são isentos de aditivos químicos e conservantes, o que na indústria não acontece.

Comer, Beber e afins – Quais as opções de pães são possíveis com a fermentação natural?
Ana Luiza – Todo tipo de pão. Temos uma variedade grande, como o pão de nozes, pão com azeitonas pretas , uma linha de pães franceses (inclusive integrais) com fermentação natural, pão de hambúrguer entre outros. Para estes pães de longa fermentação utilizamos uma ótima farinha italiana.

Comer, Beber e afins – Quais opções de pães artesanais você sugere para quem ainda não conhece?
Ana Luiza – A sugestão é para começar com os pães de fermentação natural, que proporcionam uma melhor digestão até mesmo para as pessoas sensíveis ao glúten, melhora a flora intestinal de quem o ingere e muitos outros benefícios. O sabor, aroma e textura também são diferenciados nestes produtos e vale a pena conhecer.

Comer, Beber e afins – A gastronomia no Brasil é muito inferior à praticada na Itália?
Ana Luiza – A gastronomia de modo geral é uma preocupação primordial na Itália, então a matéria prima é muito valorizada e quem a produz o faz com muita atenção e capricho. Tenho visto aqui no Brasil também esta preocupação com a qualidade das matérias primas e processos produtivos. As pessoas aqui em Rio Preto valorizam um bom produto, um bom restaurante e até mesmo o hambúrguer, antes sinônimo de fast food, hoje tem um lugar de destaque com carne de qualidade e até mesmo pães de fermentação natural nos sanduíches.

Come, Beber e afins – Para quem almeja iniciar na panificação, qual sua dica?
Ana Luiza – A minha dica é ter em mãos uma farinha boa e adequada ao produto que quer fazer. Nós vendemos algumas farinhas especiais exatamente para auxiliar os amantes da panificação. Ter um bom livro de teoria da panificação e também de receitas é importante. E não desistir quando o resultado não for bom. É preciso continuar aprendendo e testando. Fazer pão em casa é terapêutico, saudável e não tem quem resista ao cheiro de pão quentinho saindo do forno!

Por Ellen LIMA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS