Comer, Beber e Afins: Salsa Rooftop: novidade na noite em Rio Preto

O rooftop do Salsa: happy hour e pratos executivos no jantar

São José do Rio Preto acaba de ganhar mais uma opção gastronômica de alto nível para quem aprecia um bom churrasco na parrila: instalado num mezanino do Duo JK, localizado na avenida Juscelino Kubistchek, na região Sul de São José do Rio Preto, está o Salsa Rooftop.

Victor Homsi, proprietário do Salsa com o
Chef Rafael Faustino

Apesar de servir churrasco argentino, o lugar remete aos melhores points paulistanos. O acesso é por elevador panorâmico e a casa é toda em vidro, o que permite uma vista primorosa nas noites de céu estrelado.

“É um projeto que nasceu junto com o Duo JK, há dois anos. Projetamos tudo para ser moderno e oferecer um cardápio com cortes nobres assados na parrila acoplado a um bar para happy hour”, define Victor Homsi, o proprietário, que também comanda o Losteria, (de cozinha italiana) e o Buffet Espaço Vitória, para festas. Ele diz que o nome é inspirado no tempero mesmo, a salsinha, e rooftop significa cobertura (em inglês).

Sim, o restaurante é de assados na parrila, a famosa grelha tradicional da Argentina. O Salsa está atendendo desde o dia 18 de junho e funcionará diariamente das 19 horas à meia-noite (no restaurante). A partir das 18 horas abre o bar, que fica anexo e oferece chope e petiscos para happy hour. Lá são servidos 3 tipos de chope, sendo um deles Amstel e dois de marcas artesanais que serão trocadas periodicamente. Por enquanto não tem cerveja no cardápio, mas bons drinks e vinhos.

Entrada de embutidos com queijos grelhados

A cozinha é comandada pelo Chef Rafael Faustino, que tem apenas 25 anos, mas domina a arte da boa gastronomia desde os 12 e comanda também a cozinha do Buffet Espaço Vitória. Ele conta que o prato mais pedido no Salsa é um corte de baby beef (miolo da alcatra) servido com acompanhamentos. Lá tem cortes especiais para todos os gostos, desde chorizo e ancho até o famoso palmito assado, que vem acompanhado de frutos do mar. Sim, vale a pena conhecer.

Para reservas ligue (17) 3363 -7563.

 

Conversa com o Chef 


Thiago Reis

Ele é um Cheese Hunter (caçador de queijos). Tem 39 anos e depois de atuar por muito tempo como executivo em multinacionais como AmBev, Bunge, Parmalat e L’Oréal, entrou no ramo de gastronomia por paixão.Ao viajar pelo sertão junto com a esposa Almiriam Reis descobriu a Serra da Canastra (Minas Gerais) e decidiu se tornar um empresário de queijos. Hoje, participa de eventos pelo Brasil, levando os melhores queijos da Canastra. Thiago Reis é o proprietário do Pedacinho da Canastra e conversou com a coluna sobre produtos artesanais e outras delícias do sertão.

Comer, Beber e afins em Rio Preto – A lei que autoriza queijos artesanais fará crescer o setor produtivo?
Thiago Reis – Foram quebradas barreiras e a facilidade que antes era só com o S.I.F (Serviço de Inspeção Federal) agora será de responsabilidade dos estados e muitos produtores leite, que escoavam sua produção para laticínios com valor muito abaixo do mercado (e até mesmo sendo explorados), se sentiam obrigados a repassar toda sua produção por causa da burocracia na nossa legislação anterior, agora muitos vão poder voltar a produzir queijos e outros derivados mantendo a cultura familiar na propriedade rural. Agora seguindo regras sanitárias de responsabilidade do Estado.

Comer, Beber e afins – Há queijos produzidos no Brasil muito saborosos e desconhecidos do consumidor. Essa realidade muda com a nova lei?
Thiago Reis – Sim. Será mais fácil o trânsito de queijos de regiões centenárias e a facilidade das empresas logística sentido a segurança da lei e agora veremos por exemplo, queijo manteiga produzido no Seridó/RN em Porto Alegre/RS.
Comer, Beber e afins – Quais queijos são os mais procurados no seu empório?
Thiago Reis – Os queijos Serra da Canastra, até pela proximidade com a região e grande divulgação pela mídia gastronômica. Mas temos uma proposta de mostrar e degustar outras regiões, como a do Serro, região mais antiga de queijos artesanais no Brasil e que cada vez mais vai adquirindo apaixonados. É uma região até desconhecida no Estado de São Paulo.

Comer, Beber e afins – Assim como o queijo, a serra da Canastra produz café. Porque essa riqueza ainda não é tão conhecida pela maioria dos brasileiros?
Thiago Reis – A força da indústria é muito forte, são elas (indústrias) que patrocinam os meios de comunicação e até, às vezes, corrompem nossa política como a JBS dona da marca vigor, que produz queijos. Agora, com a facilidade das feiras gastronômicas colaborativas em grandes centros, começa a se propagar mais tanto os queijos como outros produtos artesanais regionais.

Comer, Beber e afins – Quais as principais regiões produtoras de queijo artesanal no Brasil?
Thiago Reis – Minas Gerais no topo da pirâmide, Sul do país com os queijos Diamante de Santa Catarina, Estado esse que foi pioneiro este ano na aprovação da lei que permite a formalização e legalização de produtores de queijo artesanal de leite cru (PL 470.5/2017), Rio Grande do Sul com os queijos coloniais, norte e nordeste com queijos coalhos e manteiga. O estado de São Paulo é o irmão mais novo, que vem surpreendendo com a diversificação na produção queijos diversos: desde cabra, ovelhas, búfala e vaca. Isso se dá por facilidade da proximidade dos grandes centros onde tem mais avanço na questão de treinamentos e harmonizações e a divulgação em uma amplitude maior que outras regiões.

Comer, Beber e afins – Você me disse que há queijos suaves, médios e fortes. Quais os preferidos aqui no Interior de SP?
Thiago Reis – Isso depende muito perfil de público, nos eventos, nas feiras livres, saem os mais suaves, meia cura tem mais saída. Quando participamos de eventos com cervejas artesanais e vinhos, os mais fortes curados e extras são os mais procurados pela harmonização com aquele tipo especifico da bebida ofertada ali. Outro exemplo é um evento de churrasco que iremos participar neste final deste mês (Churrascada em Ribeirão Preto), lá os queijos médios e mais gordos acreditamos que serão os mais procurados.

Comer, Beber e afins – Sua dica para harmonizar com um vinho tinto seco, um tinto suave e um espumante branco?
Thiago Reis – Harmonizar queijos c/ vinhos é encantador você tem um infinito de combinações, como por exemplo queijos com geleias, melado de cana, mel, frutas, castanhas, charcutaria e até nesta época mais fria é muito consumido o fondue, sempre acompanhado com um bom queijo e o vinho. Nós gostamos muito dos queijos mofados de média força e curados para harmonizar. Mas, isso vai muito do momento e do que será servido junto.

Comer, Beber e afins – O queijo de leite de cabra é uma iguaria desconhecida? Qual a diferença do queijo normal?
Thiago Reis – O leite de cabra é muito indicado para pessoas idosas ou convalescentes de qualquer tratamento prolongado.Visualmente não é possível diferenciar o leite de vaca do leite de cabra, apenas pelo odor e sabor. Apesar de serem muito parecidos, é importante saber qual a diferença entre os dois. Na proteína do leite de vaca, existe uma porção chamada alfa s1 caseína, que pode promover quadro de alergia no ser humano. Já no leite de cabra, essa proteína existe em menor quantidade e, somado à característica de ser mais facilmente digerido, favorece menos a ocorrência de transtornos ao organismo daqueles que tem essa deficiência. Vale a pena destacar que os queijos feitos com leite de cabra se enquadram mais em uma linha de produtos nobres, tipo “Gourmet”, com características sensoriais específicas, que os tornam apreciados no mundo todo, especialmente se acompanhados de vinhos também seletos.

Comer, Beber e afins – Sua dica na Canastra para quem pretende ir direto à fonte…
Thiago Reis – Nos procurar que indicamos sempre nossos produtores de queijos, doces e artesanatos ou a própria Aprocan – Associação de produtores queijos da Serra da Canastra, localizada em São Roque de Minas/MG, no coração da Serra e essa terá indicação somente dos produtores de queijos na sua maioria.

Nota: Thiago Reis trará seu Pedacinho da Canastra para Rio Preto, em Setembro. Ele participará de um evento de gastronomia, que vai harmonizar cervejas e queijos.

Barretos 2018
A Festa do Peão de Barretos (16 a 26 de agosto) este ano promete prêmios excelentes para os competidores, como R$250 mil para o campeão de montaria em touro. Além do rodeio, o ponto alto da festa será o show da cantora americana Shania Twain, que virá pela primeira vez à um país latino-americano e se apresentará dia 18 de agosto, no parque do peão. Jornalistas de Rio Preto participaram do lançamento da programação no último 20 de junho, em Barretos. Entre eles, estava a jornalista Mariane Dias, do DHoje.

Beer BBQ
É evento de churrasco que você gosta? Vem aí o Beer & BBQ, uma parceria do Empório Nhô com o Santo Lúpulo. Será de 13 a 15 de julho, no Plaza Avenida. Programe-se.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS