COMER, BEBER E AFINS: Jambu Culinária é pedaço do Pará em Rio Preto

Belém é uma metrópole às margens do rio Guamá

A rica culinária paraense tem em Rio Preto uma representante: a Jambu Culinária Raiz, que traz do coração da floresta amazônica os melhores

condimentos e especiarias, além de peixes amazônicos e frutas típicas como açaí e cupuaçu.

Dhoje Interior

A empresa é do Chef Flávio Souza, nosso entrevistado nesta edição. Apaixonado pela cultura e diversidade gastronômica paraense, Souza fornece polpa de açaí 100% pura, cupuaçu e graviola para sucos e sobremesas. Além das frutas, as sementes de Puxuri (usada para doces e salgados) e cumaru (conhecida como a baunilha amazônica). Tem ainda a emblemática jambú, usada para fazer o Tacacá, prato que é apontado como a cara do Brasil pelo

A pesca é uma das principais atividades dos ribeirinhos

Chef Olivier Anquier por suas cores verde e amarela. O jambu tem substâncias anestésicas e amortece a língua, oferecendo uma sensação única a quem o experimenta e é conhecido como o agrião-do-Pará.

A semente Puxuri
é a noz moscada
brasileira

“A gastronomia do Pará tem um sabor muito peculiar devido à grande influência indígena”, avalia Souza.

O Chef acaba de retornar de uma temporada de 30 dias na região amazônica, quando percorreu rios, florestas e visitou tribos e participou de festas típicas da região. Voltou ainda mais encantado com as praias de água doce de Santarém e Alter do Chão, a cultura e seus pratos exóticos.

As frutas do Mercado Ver o Peso: típicas da floresta

Flávio Souza também produz sobremesas com ingredientes do Pará como bolo de tapioca e pudim com calda de cupuaçu, entre outras.

Para experimentar as delícias do Norte do Brasil, a Jambu Culinária Raiz atende encomendas pelo telefone (17) 98128-2689.

 

Depoimento

Flávio Souza
Fisioterapeuta e Chef confeiteiro

“A primeira vez que estive no Pará foi em 2014. Foi amor à primeira vista! Me apaixonei pelo Jambu, pelo clima e pela diversidade gastronômica. A culinária paraense tem muita influência indígena e isso fez despertar ainda mais meu interesse. A partir de 2014 passei a visitar a Amazônia três vezes por ano. A cada vez que vou, visito uma região diferente e aprendo um pouco mais da cultura gastronômica local e fico mais fascinado pelo universo daquele Brasil tão diferente e ao mesmo tempo tão peculiar nas nossas origens.

O Pará é imenso e com muito locais lindos para se conhecer. A cidade que eu mais amo é Belém, uma capital onde você tem o centro urbano a 10 minutos de barco da floresta amazônica. No entorno de Belém há várias cidades menores, mas muito ricas em cultura e gastronomia. Lá tem criação de ostras, casas de farinha e plantações de açaí.

No mês de outubro acontece o Círio de Nazaré (o natal dos paraenses) e a cidade recebe muitos turistas para o testemunho de fé e a romaria à Nossa Senhora de Nazaré.

Outras cidades interessantes para se conhecer são Santarém e Alter do Chão. Lá as praias de água doce são apontadas como o Caribe Brasileiro e já foram cenário de novela na TV Globo.

Entre os meses de setembro e janeiro as águas do rio Tapajós baixam formando bancos de areia no meio do rio, com belíssimas praias desertas para se contemplar o pôr do sol. Santarém e Alter do Chão são banhados pelo rio Tapajós, um dos principais rios da região amazônica, que formam um dos maiores aquíferos do mundo.

É uma viagem incrível, que oferece desde turismo ecológico a gastronômico e explica o fascínio que a região amazônica desperta nos estrangeiros. Um dia vou morar lá!

Flávio Souza atua como professor de barismo no Senac Rio Preto e comercializa produtos do Pará com a Jambu Culinária Raiz – para encomendas ligue (17) 98128-2689.

 

Tamareira Fábrica Bar

O Tamareira Fábrica Bar vai realizar uma harmonização de marcas belgas na próxima terça-feira (4), a partir das 19 horas. Para participar é só se inscrever na rua Siqueira Campos, 3619, Vila Santa Cruz. Informações (17) 3363-1266. Já conhece? Vale a pena. As imagens abaixo são da inauguração.

Marcelo Lima e Fábio Campos, sommeliers e sócios do Tamareira, com a arquiteta Renata Domarco, autora do projeto
O jornalista Frederico Tebar foi prestigiar a inauguração
Primeira harmonização, realizada na última semana, contou com vários cervejeiros

 

 

Butekário

O Butekário é o point ideal para quem curte a noite com som ao vivo. Na sexta-feira (31), a partir das 17 horas, o bar realiza o Especial 30 anos sem Cazuza com o músico Celso Carlessi. O som é durante o happy hour, que oferece chope em dobro. O Butekário fica na Rua Boa Vista, 600, no bairro Boa Vista. Reservas (17) 3212-9159.

 

Por Ellen LIMA