Comer, Beber e Afins: Engenho Dom Tápparo investe para aumentar produção

A marca já está em 3 Estados do Brasi

A marca de cachaça rio-pretense Dom Tápparo se prepara para expandir horizontes. Após 40 anos de história, o engenho da família Tápparo registra um salto de vendas desde 2015, quando lançou a cachaça extra-premium Cabaré. O rótulo é resultado de uma parceria com a dupla Eduardo Costa e Leonardo, que percorrem o Brasil com o show Cabaré. “A Cabaré foi um divisor de águas para a empresa”, revela Breno Tápparo, um dos diretores do negócio. As vendas aumentaram 40% após o lançamento da parceria.

A empresa já deu início à uma obra de construção de um barracão para novos tonéis de armazenamento. “A Cabaré é uma edição limitada, que deve acabar no final deste ano. Vamos instalar novos barris para maior capacidade de envelhecimento”, explica Breno.
O Engenho Dom Tápparo é uma empresa familiar iniciada em 1978, pelo patriarca José Tápparo. O que começou para consumo próprio virou um bom negócio que atualmente produz 40 tipos de produtos derivados da cachaça. São licores, caipirinha de limão, coquetéis e o bitter, idêntico ao campari, mas à base de cachaça.

A Cabaré: cachaça extra-premium com edição limitada

A Cabaré é uma bebida extra-premium, envelhecida por 15 anos em barris de carvalho europeu. Apenas os apreciadores com bom gosto e alto poder aquisitivo consomem a bebida, que custa R$220 a garrafa. Foram produzidas apenas 10 mil garrafas, que acabam este ano.

Porém, depois do sucesso da Cabaré, o engenho lançou no ano passado a Cabaré Prata, com evelhecimento de 6 meses em barril de amendoim. A prata é destinada a se tornar mais popular. Cada garrafa custa R$25 e também já é sucesso de vendas.
A Cabaré rendeu à família Tápparo dois prêmios internacionais de melhor cachaça: em 2016 e 2017 em Bruxelas.

Atualmente o engenho Dom Tápparo produz 1 milhão de litros de cachaça por ano. A produção depende da safra da cana-de-açúcar, que vai de maio a outubro.
A marca possui parcerias também com as duplas, Maiara & Maraisa, Zé Neto & Cristiano, com o apresentador Ratinho e com a cantora Marília Mendonça. Os produtos Dom Tápparro já estão em três Estados do Brasil: Goiás, Minas Gerais e São Paulo. O plano é expandir para o resto do Brasil.

As extra-premium ficam 15 anos em barris de carvalho

Para adquirir as cachaças e produtos da marca procure a Cachaçaria Dom Tápparo, que fica na Rua Lino Seixas, 57, na Vila Maceno, em São José do Rio Preto.
Para conhecer o Engenho Dom Tápparo, basta seguir pela rodovia Feliciano Sales Cunhas, sentido Monte Aprazível. O Engenho fica no KM 457 e está aberto de segunda a sábado das 8 às 18 horas e aos domingos das 8 às 17 horas.

 

Conversa com o Cachaciê 

Breno Tápparo: diretor de produção do engenho desde jovem, atua junto com os irmãos

Breno Tápparo
Ele tem 29 anos, é formado em Tecnologia de produção sucroalcooleira e em Agronegócios, pela Unorp. É Diretor de Produção do Engenho Dom Tápparo e um dos membros da terceira geração da família, composta por Bruno, Giovanni, Marcus, Fernando e Carla. Já entende tanto de cachaça que é considerado um legítimo Cachaciê (nome do especialista no setor).
Comer, Beber e afins em Rio Preto – O engenho Dom Tápparo tem parceria com algumas duplas sertanejas. De onde surgiu essa ideia de vincular a cachaça à música sertaneja?
Breno Tápparo – A primeira parceria foi com o Eduardo Costa e o Leonardo, do show Cabaré, que originou nossa cachaça extra premium. Há 3 anos a gente colocou uma cachaça em cada mesa no show deles, Em Rio Preto e meu irmão pediu para levar uma garrafa para a dupla no camarim. Eles tomaram e adoraram. Sugerimos o projeto e começou a parceria aí. Depois surgiram as outras parcerias (com outras duplas).
Comer, Beber e afins – Vocês tem algumas cachaças premiadas. Quais são?
Tápparo – A Cabaré é premiada duas vezes: na Feira Nacional de Belo Horizonte e no concurso Mundial de Bruxelas. Nossa maior premiação foi em Bruxelas com a cachaça envelhecida em carvalho americano, a Dom Tápparo Extra premium, com a qual ganhamos duas vezes medalha de ouro. É uma cachaça envelhecida 10 anos. A Cabaré tem envelhecimento de 15 anos.
Comer, Beber e afins – Qual é a região com maior volume de vendas da marca?
Tápparo – Temos cachaçarias aqui em toda região: uma em Rio Preto, uma em Bady Bassitt e outra em Olímpia e aqui no engenho (Mirassol). Já estamos abrindo mercado em São Paulo, Goiânia e Belo Horizonte. Nosso plano é chegar em todo Brasil.
Comer, Beber e afins – Qual é o segredo da boa cachaça?
Tápparo – É o envelhecimento. O envelhecimento dá o sabor. A madeira é específica. O barril de carvalho dá sabor e o amendoim é neutro.
Comer, Beber e Afins – A cachaça enquanto bebida representa o Brasil assim como a feijoada na gastronomia?
Tápparo – Sim. Estamos evoluindo no setor, perdendo o preconceito. Já tem muitos apreciadores da nossa cachaça, inclusive no exterior.
Comer, Beber e afins – A Dom Tápparo é uma empresa familiar. O que mais inspira vocês a seguir no ramo?
Tápparo – Meu avô começou o negócio em 1978. Ele começou a produzir para consumo próprio e para presentear os amigos. Ficou tão boa a cachaça que se tornou comercial. Ele atuava com postos de combustíveis antes. Hoje nos dedicamos ao engenho já na terceira geração.
Comer, Beber e afins – Você disse que o mercado de cachaça está em ascensão. Como vocês sentiram isso?
Tápparo – Há muitos formadores de opinião engajados em mudar a imagem da bebida e fazer com que o preconceito que existe se acabe. Porque a cachaça é uma bebida que tem quase 500 anos e já é referência para o Brasil lá fora.
Comer, Beber e afins – O que representou a parceria com os cantores sertanejos?
Tápparo – O lançamento da Cabaré foi um divisor de águas. Registramos um aumento de 40% nas vendas e lançamos a Cabaré Prata, nosso projeto mais novo e que já está tendo grande aceitação. É uma cachaça mais simples e com preço acessível. Pois, a Cabaré extra-premium é edição limitada. Fizemos 10 mil garrafas, é uma bebida cara, mas que acaba até o fim deste ano. A Cabaré prata veio para cair no gosto de todos os públicos e tem preço acessível.

Páscoa sem culpa
Está de dieta e é louco(a) e não quer passar a Páscoa sem chocolate? A DNA Empório, no Riopreto Shopping, tem a solução: o kit da Intregalle da casa vem com três ovos de colher, nos sabores Brigadeiro, Beijinho e Doce de Leite. Os ovos são sem açúcar, sem leite, sem glúten e sem conservantes. Outra opção é o Ovo de Alfarroba de Coco, que é sem açúcar e possui uma importante fonte de fibras sem glúten.“A alfarroba é um fruto de uma árvore chamada Ceratonia siliqua, conhecida por ser um substituto saudável e natural do chocolate. O gosto é praticamente o mesmo do cacau. Como a alfarroba é naturalmente doce, dispensa adição de açúcar no preparo dos alimentos que contém o fruto”, explica a nutricionista da DNA Empório Madeline Quirino.

Marca rio-pretense
Shakerama Shakes e Delícias é a marca de sorvetes de São José do Rio Preto, que acaba de ser lançada no mercado de franquias. O empreendimento é do empresário Luciano Rodrigo de Souza. São cinco modelos de negócio disponíveis de sorvetes e milk-shakes. O empresário estudou sobre o sorvete e tornou-se “Mestre Sorveteiro”. Ele desenvolveu uma formulação de receita exclusiva de sorvete para sua rede. A receita possui 30% menos gorduras e açúcar. A franqueadora está localizada em São José do Rio Preto e já conta com três unidades em operação em Araxá (MG), Jacareí (SP) e Canavieira (BA). Neste segundo semestre, a capital mato-grossense, Cuiabá, também vai ganhar uma unidade da loja.

 

Por Ellen LIMA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS