Comer, Beber e Afins: Beato Cafeteria completa 1 ano e prepara superfesta

No sábado 07 de outubro, a partir das 11 horas, a Beato Cafeteria abre suas portas para receber personalidades de destaque do futebol brasileiro e da área de gastronomia. Será a festa de um ano de funcionamento do empreendimento.

Projeto idealizado pelo goleiro Jefferson do Botafogo, o point, que funciona no bairro Jardim Redentor, oferecerá um cardápio especial, preparado pelo Chef Raul Lemos, apresentador do programa Masterchef da TV Band, que virá especialmente para a ocasião e com participação dos chefs Marinho Xavier e Daniela Marteli. Natália Clementin, rio-pretense que participou do último Masterchef, também participa.
Além de gastronomia o assunto será futebol. Jefferson terá como convidados especiais alguns de seus amigos boleiros: Denílson (ex-jogador da seleção brasileira e do São Paulo), Muller (ex-jogador da seleção brasileira e do São Paulo) e Sandro (ex-zagueiro do Botafogo). “Eles vem para conversar com nossos clientes, tirar fotos e prestigiar nosso primeiro ano em Rio Preto”, comemora Jefferson, que também ficará lá o dia todo recebendo os clientes, pessoalmente.

O Chef Raul Lemos vai preparar kafta e cuscuz marroquino e a festa será durante todo o dia. O café Beato oferece um cardápio variado e se consolidou como opção de almoço executivo, com bons pratos e preço acessível. O executivo lá custa a partir de R$14,90. “Faço questão de qualidade e bom atendimento. Apesar de ficar no Rio de Janeiro, administro tudo diretamente”, ressalta. E ele faz questão de inovar o cardápio a cada três meses. “Mudo com novidades que vejo em minhas viagens pelo mundo. Estou sempre atento para trazer para o café as melhores tendências do setor”.

O jogador já pensa em expandir o negócio e a marca deve virar franquia. “Quero abrir uma Beato Cafeteria no Rio de Janeiro, onde moro. Além de unidades nas principais capitais do Brasil”, programa.

Apesar do projeto de expansão, Jefferson informa que escolheu Rio Preto para começar seus negócios (fora do futebol) porque tem paixão pela cidade. “Entre todas as cidades por onde passei Rio Preto foi a que amei. Aqui vou criar minhas filhas e é onde pretendo morar no futuro”, anuncia. Ele é casado com a rio-pretense Michelle Oliveira, com quem tem três filhas, Nicole, Débora e Jéssica.

A Beato Cafeteria fica na Rua Américo Nóvoa, 730, próximo ao shopping Plaza Avenida. O telefone para reservas é (17) 3364-6333.

 

Risoto de Baião de dois

Kleber Lemechewsky

Ingredientes:
1 e 1/2 Xícara (chá) de feijão fradinho
50 ml de azeite extra virgem
1 Cebola média picada
1 Alho picado
200 g de linguiça calabresa defumada
400 g de arroz carnaroli
250 ml de vinho branco
1 Litro de caldo do feijão quente
2 e 1/2 Xícaras (chá) de tomates em cubos pequenos
1 Pitada coentro picado a gosto
1 Xícara (chá) de queijo coalho em cubos médios
4 Colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
2 Colheres (sopa) de manteiga
1 Pitada de lascas de pimenta dedo-de-moça a gosto
1 Pitada de sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo
Cozinhe o feijão fradinho em água suficiente para fazer render 1 litro de caldo para o preparo do risoto. Depois, separe o feijão do caldo, que geralmente fica bem ralo. Esquente o azeite numa panela e doure a cebola, o alho, a calabresa, o feijão cozido e o arroz, mexendo até tudo estar bem aquecido. Então, coloque o vinho, mexa bem e quando secar comece a colocar o caldo de feijão quente aos poucos. Mexa sem parar até terminar de adicionar todo o caldo. Por fim, coloque o restante dos ingredientes na ordem em que aparecem na receita. Mexa até ficar bem cremoso e sirva.

 

Conversa com o Chef

Kleber Lemechewsky é paulistano, descendente de russos, tem 44 anos e é formado em gastronomia pela Faculdade Anhembi/Morumbi (São Paulo). Está há 6anos em São José do Rio Preto, onde atua como professor na escola Le Grand Chef, de sua propriedade. Lá ele ministra aulas para 200 alunos. E avalia que a alta gastronomia está revertendo para a confort food (comida caseira).

Comer, Beber e Afins – Você começou carreira em São Paulo, o grande celeiro da gastronomia nacional. Porque se mudou para São José do Rio Preto?

Kleber Lemechewsky – Aqui eu vi uma oportunidade de abrir mercado. Era uma região menos explorada na gastronomia quando cheguei em 2011. Vim para dar consultoria, fui chef no Buffet Manoel Carlos, depois dei aulas e lá conheci meu sócio (Felipe Faria) e montamos o Le Grand Chef, há dois anos e meio.

Comer, Beber e Afins – Uma escola de gastronomia é uma boa opção de negócio?
Kleber – É preciso muito trabalho. Foi uma situação gradativa para nos consolidarmos. Fomos conquistando espaço aos poucos. Nossos alunos são 40% da região. Temos alunos até de Três Lagoas.

Comer, Beber e Afins – Fala-se muito da cozinha contemporânea. Qual a tendência que você percebe hoje na gastronomia nacional?

Kleber – A tendência é a alta gastronomia ser substituída pela confort food, a comida caseira. Mesmo em São Paulo, que é a segunda maior capital gastronômica do mundo, já observamos a comida caseira fazendo sucesso. Hoje, artesanais, rústicos, em caldos, molhos e massa caseira, é o que faz sucesso.

Comer, Beber e Afins – Você notou alguma preferência diferente no paladar do rio-pretense?

Kleber – O rio-pretense se sente em casa e quer comer como gosta. Uma gastronomia diferenciada não é muito aceita. Aqui, o risoto tem que ser um pouco mais macio e alguns insumos tem que ser mais regionais, como a carne de porco, que eu usava muito pouco em São Paulo, aqui se usa muito e é muito bom.

Comer, Beber e Afins – O que você acha das técnicas para produzir novos produtos, como o Dry Aged?

Kleber – Acho válido. Tem coisas que não gosto, como a gastronomia molecular (Ferran Adriá). O Dry Aged faz parte de uma série de técnicas artesanais, de charcutaria, que são muito válidas. O alimento passa ter muito mais sabor.

 

Olivier Anquier gosta de receber os clientes pessoalmente no seu restaurante em SP

A rio-pretense Rosangela Facchini foi visitar a família no último domingo (24), em São Paulo, e mandou uma dica para a coluna: o restaurante Esther Rooftop. Trata-se de um bistrô francês, que tem vista para a Praça da República e é a antiga cobertura do chef Olivier Anquier. “O cardápio oferece combinações muito diferentes. São ótimos pratos com preços de R$70 a R$90 (individuais)”, conta ela, que levou a cunhada Maria Beatriz Zardini para o almoço. “Além da comida boa, ele é supersimpático e vem receber a gente”, frisou. Tá indo para Sampa? Fica a dica.

Miguel Zeratti, presidente da Unimed, trocou ideias com o jurista Luiz Flávio Gomes

Jantar
O grupo Lide Rio Preto (Líderes Empresariais) reuniu seus associados num jantar no Espaço Vitória, nesta quarta-feira (27). O cardápio incluiu filé de peixe fornecido pela Mar Rio e teve a presença de políticos e afins. Estiveram lá a nata do empresariado, o prefeito de Rio Preto Edinho Araújo (PMDB) (desculpe, mas em todos os eventos que vou, ele está!). Todos ouviram palestra do jurista Luiz Flávio Gomes, que falou de corrupção e compliance (que é a ética nas empresas). OS presentes receberam o livro “O Jogo Sujo da Corrupção”, escrito por Gomes, que revelou ser candidato a deputado federal em 2018.

Vinhos
São José do Rio Preto ganhou mais uma adega na região do Vivendas. Foi inaugurada nesta quinta-feira (28) a Abadesco. A casa, que mudou de endereço, agora fica na Avenida Benedito Rodrigues Lisboa, 1800, próxima à Praça do Vivendas. O evento teve organização de Frederico Tebar e contou com a presença de convidados e imprensa.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS