Começa nesta quinta novo julgamento de homicídio de taxista há 18 anos  

GOOGLE MAPS/ARQUIVO - 22/02/18: Uma corrida de táxi acabou com o passageiro morto em sítio na zona rural de do município de Cedral.

Parado na Justiça por mais de sete anos o assassinato do taxista, Marcus Vinicius de Roselen, 31 anos, em 2001 na zona rural do município de Cedral-SP, que fica a cerca de 18 km de Rio Preto, volta a ser julgado às 13h30 no salão 101 do Tribunal do Júri, José Jorge Junior, na 5º Vara Criminal do Fórum de Rio Preto.

Com diversas falhas no processo que atrasaram o desfecho do homicídio o réu, José Lopes de Almeida, será submetido aos jurados presidida pela juiza Gláucia Véspoli dos Santos Ramos de Oliveira.

Durante a última audiência realizada em abril do ano passado faltando alguns minutos para divulgação do veredito, um dos advogados defesa, Airton Jorge Sarchis, retirou a toga e abandonou o Tribunal, na época presido pelo juiz Cristiano Mikhail, que decidiu adiar a sessão.

Por conta da demora uma parte do processo prescreveu e o corréu acusado de ter participado do crime Joaquim Conceição da Silva, completou 70 anos e não pode mais ser condenado, na época dos fatos em 2001 ele tinha 64 anos.

Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público Joaquim contratou Lopes para transportar Marcus Vinicius até a propriedade rural onde foi morto. Almeida responde por homicídio qualificado.

A reportagem do DHOJE tentou um contato com todos os advogados de defesa que não foram localizados para comentar a estratégia que será defendida pela defesa ao longo dos debates desta quinta-feira.

DA REPORTAGEM:

Colaboração: Guilherme Ramos, às 12h22.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS