COMBATE E PREVENÇÃO DO CÂNCER NOS ANIMAIS

A doença é um inimigo cada vez mais frequente dos humanos e também dos pets

Prevenção e combate ao câncer! Homens, mulheres, idosos, jovens e até mesmo os animais. Nos últimos anos a doença se tornou uma das mais temidas, por exemplo, temos o Outubro Rosa e o Novembro Azul que servem para conscientizar as pessoas a respeito do diagnóstico precoce sobre a enfermidade. Mas o que poucos levam em conta é que o câncer também é um inimigo cada vez mais frequente em nossos amigos de quatro patas.

bordeaux - foto divulgaçãoPor isso, a Fórmula Animal, especializada em oferecer medicamentos manipulados a animais em formas e sabores diferenciados, promove a ação Setembro Lilás, que tem como objetivo diminuir os diagnósticos da doença em animais, prolongando sua qualidade de vida, enfatizando aos donos a importância de levar o bichinho ao veterinário para consultas de rotina. ”Temos que propagar a cultura sobre a conscientização dos riscos e sobre a importância para evitar esse tipo de enfermidade, especialmente nos pets idosos que são mais propensos a terem algum tipo de tumor de mama, pele ou linfoma. Caso seja detectado em estágio inicial, ele pode ter uma vida longa, com excelente qualidade, podendo até mesmo chegar à cura”, ressalta Renata Piazera, farmacêutica da rede. A especialista aponta algumas dicas sobre como minimizar o diagnóstico nos animais:

 

USO DE PROTETOR SOLAR
Para prevenir um possível surgimento de câncer de pele é recomendado aplicar protetor solar, principalmente, em animais de pelagem clara, como Boxer, Dogo Argentino, Bull Terrier e Pit Bull. Além de, é claro, evitar exposições prolongadas ao sol. A ocorrência de tumores é maior em regiões que são menos pigmentadas e possuem pouco pelo, como região abdominal, orelha e nariz.

 

REALIZAR EXAMES DE DIAGNÓSTICO EM FÊMEAS
Recomenda-se realizar um exame de palpação de mamas em cadelas e gatas para controlar e evitar o surgimento de tumores mamários. Todas as mamas devem ser palpadas cuidadosamente, inclusive o espaço existente entre elas. Vale lembrar que as cadelas possuem cinco pares de mamas e as gatas quatro pares. Ao localizar um nódulo é necessário procurar imediatamente um veterinário de confiança para realização de exames complementares e início do tratamento.

 

CASTRAÇÃO PRECOCE
As fêmeas castradas antes de 01 ano de idade, têm chance reduzida de desenvolver câncer de mama na fase adulta, se comparado às fêmeas não castradas. A possibilidade de câncer de mama é praticamente zero quando a castração ocorre antes do primeiro cio. Além disso, a retirada do útero anula a chance de problemas uterinos bastante comuns em cadelas após os seis anos de idade.

FIQUE ATENTO A DIETA DO ANIMAL
A falta de nutrientes significa baixo teor de antioxidantes na dieta e esses componentes são responsáveis por prevenir o aparecimento de tumores. Por isso, a recomendação é alimentar os animais com ração própria para cães e gatos de boa qualidade, rica em ômegas 3 e 6 e outros antioxidantes, evitando oferecer restos de alimentos. A obesidade também é um risco para diabetes e doenças cardíacas.

CUIDADO NA HORA DA REPRODUÇÃO
Alguns donos têm como hábito colocar seu bichinho para reproduzir. Nesses casos é recomendado levar o pet ao veterinário para um check-up do sistema reprodutivo, assim como o parceiro dele. É recomendado evitar o cruzamento de animais domiciliados com animais de rua já que o contato sexual favorece o aparecimento de Tumor Venéreo Transmissível (TVT).

PRATIQUE ATIVIDADES FÍSICAS
Realizar atividades físicas leves ou moderadas diariamente com o animal, seja corrida ou caminhada, diminui os sintomas de estresse e o risco de desencadear o aparecimento de tumores nos órgãos.

SINTOMAS
Os sintomas variam de acordo com o tipo de tumor e o estágio da doença. Entretanto, é preciso ficar atento em relação a sinais de emagrecimento, dificuldade ao se alimentar e/ou beber, cansaço em excesso, sangramentos sem motivo aparente e problemas ao urinar e defecar. Também é preciso considerar a possibilidade de câncer quando ferimentos cutâneos ou de mucosas não cicatrizam, mesmo diante de tratamento.

TRATAMENTO
Em alguns casos, a quimioterapia é o tratamento mais eficaz já que danifica as células cancerígenas que se multiplicam rapidamente, embora, ele seja agressivo ao paciente. No entanto, dependendo do estágio da doença e do tipo de câncer ele pode ser combatido pelo meiocirúrgico ou medicamentoso. Nesse caso, é importante tomar alguns cuidados ao manusear a medicação, como a utilização de luvas para administrar o medicamento e recolhimento dos dejetos evitando contato com os compostos.

 

Por Amanda Barufi

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA