Com investimento de R$ 150 mil, antiga “Pedra” será revitalizada

Complexo localizado embaixo do viaduto Jordão Reis passará por revitalização e será entregue em janeiro de 2018; obras devem começar nos próximos dias e serão feitas através da parceira público-privada no valor de R$ 150 mil.

Com o objetivo de gerar uma opção a mais para os lojistas e as concessionárias de veículos, foi assinado ontem o contrato de parceria público-privada entre a Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb) e à Associação dos Lojistas de Veículos Automotores do Interior do Estado de São Paulo (Assoviesp), no valor de R$ 150 mil, para revitalizar a área da antiga Pedra, localizada embaixo do complexo do viaduto Jordão Reis.

Ao todo, a obra deve gerar 150 empregos entre diretos e indiretos e o espaço de 17,1 mil metros quadrados ganhará uma praça de alimentação, espaço para a realização de eventos, fraldário, segurança 24 horas, espaço kids, além dos serviços de despachante, vistoria veicular, crédito financeiro e corretores.

“A gente está assinando o contrato hoje (ontem), e as obras estão previstas para acontecer nos próximos dias e ela tem uma previsão de 45 a 60 dias. Então, acreditamos que até o final do ano, no máximo no comecinho de 2018, a gente já esteja inaugurando o novo espaço totalmente revitalizado, com toda a estrutura que a Assoviesp está se propondo a realizar”, afirmou a presidente da Emurb, Vânia Pelegrini Bucater.

Presidente da Assoviesp, Jesus Finotello, enalteceu os benefícios da revitalização. “Nós vamos gerar entre empregos diretos e indiretos, 150 vagas. E o próprio comércio nós vamos trazer para Rio Preto uma opção a mais para que o lojista e a concessionária coloquem ali o seu veículo para venda. Vamos fazer um local para a família, um local adequado com comodidade e facilidade para você, com essa tranquilidade, poder escolher o seu novo veículo, juntamente com sua família”, finalizou.

AMBULANTES
Cerca de oito ambulantes, que estão presentes no local, reclamaram de como está sendo feito o processo de revitalização da área, como é o caso de Manoel Ferreira da Silva, proprietário da Lanchonete dos Amigos. “Temos 30 anos ali. Deveria ter sido feito uma reunião. Do jeito que estão fazendo parece uma ditadura. O que somos contra é tirar o pessoal de lá. Claro que revitalizar será bom, mas queremos permanecer no local”, disse o comerciante.

Presidente da Emurb, Vânia Pelegrini disse que os ambulantes devem procurar a Secretária de Desenvolvimento Econômico para resolver o problema. “A Secretária está recebendo desde o começo do mês todos os empreendedores ambulantes para que possa rever remanejamento de espaço, transferência para outra localidade. Então, aqueles ambulantes que ainda não foram para a Secretária de Desenvolvimento Econômico, nós fazemos um alerta para que eles vão até lá, porque tem os espaços específicos para que eles possam ser transferidos”, encerrou.

 

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS