Cliente e proprietário se agridem após confusão em loja

Um policial militar de 33 anos e um comerciante de 39 anos entraram em luta corporal, na tarde da terça-feira (6), em uma loja de celulares localizada na avenida Potirendaba, zona sul de Rio Preto.

Segundo o boletim de ocorrência, o soldado foi até o estabelecimento junto à mulher, uma enfermeira de 29 anos, e à filha, de três anos, buscar um celular que havia sido consertado.

No local, o homem teria percebido que a tampa traseira do aparelho não encaixava, momento em que questionou o comerciante, que disse que este era um problema do dispositivo e que não havia nada a ser feito.

A mulher do comerciante, a também proprietária, de 39 anos, tentou ajudar, dizendo que abriria uma nova ordem de serviço, porém seu marido não permitiu o ato, alegando não ser justo.

O cliente, então, solicitou a nota fiscal, que também foi negada pelo comerciante, que ordenou a mulher a não realizar nenhum serviço para o soldado.

Em seguida, os dois homens começaram a se agredir. O cliente ficou com lesões no lado direito do rosto e na perna esquerda e diversos objetos do local acabaram danificados.

Enquanto os dois brigavam, a mulher do policial e sua filha pequena presenciaram as cenas, tentando ajudar na situação.

A comerciante fechou as portas do estabelecimento e foi acusada pela mulher do cliente de xingá-la com palavrões. A Polícia Militar, então, foi acionada e compareceu no local.

Questionados, os proprietários negaram ter agredido o cliente, alegando apenas terem segurado o homem, a fim de evitar danos no interior da loja. O casal também revelou não saber sobre a profissão do cliente.

Da REPORTAGEM

(Colaborou Arthur AVILA)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS