Chuva de 115 milímetros interdita quatro pontos e ameaça abastecimento de 50 mil pessoas

Foto: Edicleia Batista

A chuva que começou, na tarde do último domingo (29), deixou as equipes da Defesa Civil em alerta para três pontos em Rio Preto e um em Engenheiro Schmitt. O volume de água foi de 115 mm. “Isso significa você jogar 115 litros de água em um metro quadrado de área, então é muita água num pequeno espaço de tempo”, disse o diretor da Defesa Civil, o coronel Carlos Lamin.

A Defesa Civil acrescentou ainda que apesar do grande volume de chuva, não houve nenhum registro de vítima. “Então isso já é um grande resultado para nós porque foi muita intensidade de chuva”, afirmou Lamin.

Dhoje Interior

No entanto, algumas estruturas físicas pela cidade sofreram com os impactos e precisaram ser interditadas para segurança da população. A força da água acabou levando parte da ponte que liga o espelho 2 da Represa Municipal ao lago três. Sobre o local, Lamin acrescentou que “já estava com um problema na parte aterrada e a correnteza da água acabou levando”.

A Defesa Civil fez a interdição do local e funcionários do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) fizeram a limpeza. Já para o reparo do local, a Secretaria de Obras aguarda a chegada das pedras e materiais para acionar a Secretaria de Serviços Gerais para executar.

A chuva causou alagamentos em alguns pontos da avenida Philadelpho Manoel Gouvêa Neto, Região Norte da cidade.

No prolongamento da avenida, na rotatória, o trecho ficou coberto pela água. Apesar da forte enxurrada, motoristas ainda seguiam pela via.

Outro ponto que sentiu os efeitos da chuva foi na passarela próxima ao Palácio das Águas, sede do Semae. O local também precisou ser interditado.

Na vicinal de acesso ao Distrito de Schmitt houve desmoronamento do barranco. “Nós interditamos meia pista para segura”, disse Lamin.

Segundo a prefeitura, engenheiro da Secretaria de Obras esteve no local para definir a correção.

Lamin ressaltou ainda sobre outro ponto de interdição que “no Distrito Industrial Pascuti também está interditado sentido São Paulo a Rio Preto. A Triângulo está fechando a alça de acesso da rodovia, porque a velocidade da água prejudicou. A marginal está frágil e oca”.

Apesar do grande volume de chuva, a Defesa Civil ponderou que a cidade suportou bem.

“A cidade, tendo em vista a quantidade de chuva, resistiu muito bem a todo o volume de água. A estrutura, principalmente os fundos de vale das principais avenidas, respondeu bem”, afirmou.

Sem água

O Serviço Municipal de Água e Esgoto informou que as fortes chuvas causaram o rompimento de duas adutoras nos bairros Jardim Urano e Vila Diniz.

Segundo a autarquia, o serviço começou a ser executado por técnicos desde a noite de domingo, para conseguir reestabelecer o fornecimento de água até o fim da tarde desta terça-feira, (31).

“Pedimos aos moradores dos bairros afetados que economizem água para evitar o desabastecimento”, frisou em nota a autarquia.

As regiões atingidas atendem aproximadamente 50 mil pessoas. Veja abaixo os bairros atendidos em cada um dos sistemas:

Urano

Urano, Cidade Nova, Bom Jardim, Brasilusa, Jardim Estrela, Nosso Senhor do Bonfim, Novo Mundo, Ouro Verde, Parque Estoril, Quinta das Paineiras, Redentor, Santa Catarina, Santa Maria, Santa Luzia, Santa Tereza, São Joaquim, Vila Cristina, Vila Dório, Vila Elvira, Sinibaldi, Jardim Walquíria, Mansur Daud, Tangará, Chácara Municipal, São Judas Tadeu, Jardim dos Gomes, Jardim Soraya, Vila Hipódromo, Vitória Régia, Higienópolis, Cidade Jardim, São Marcos.

Diniz
Diniz, Jardim Europa, Fioreze, Bom Jesus, Roseiral, Vila Santo Antônio, Vila Ercília, Santa Cruz, Vila Aurora, Parque Celeste.

Por Mariane DIAS