“Chegou o momento do América sair dessa situação”, enfatiza Pinho

O América aposta na experiência do técnico Olímpio Batista Ferreira Júnior, o “Pinho”, para deixar o ostracismo de lado e resgatar a força do ‘Diabo’ no cenário paulista. Conhecido no futebol interior como “Rei do Acesso” da última divisão estadual (com sete conquistas), Pinho espera obter mais um sucesso em seu trabalho e levar o Rubro para o caminho das vitórias e conquistas. O treinador foi confirmado pela diretoria do clube como novo comandante para temporada 2019.

Com 73 anos e vasta bagagem no futebol, Pinho quer colocar seu nome na história do clube e recolocar o América em evidência. “Chegou o momento do América sair dessa situação. É um time de tradição e camisa no cenário paulista, e venho para cá determinado a fazer o melhor e ajudar o clube a subir de divisão”, afirmou o treinador.

O Campeonato Paulista da Segunda Divisão começa apenas no mês de abril, mas Pinho quer aproveitar o tempo a seu favor para ‘largar na frente’ em relação aos adversários. O treinador confirmou apresentação oficial do time para o dia 14 de janeiro, e começo dos treinamentos no dia seguinte.

Com mais de um mês pela frente até a data estipulada, Pinho exige da diretoria condições adequadas para realização do seu trabalho. “Estrutura e organização são pontos fundamentais no futebol. Condições como um bom vestiário e alojamento, campo de treinamentos, colaboram para o resultado em campo, e isso espero ter esse respaldo da diretoria”, declara.

O treinador possui mais de 55 anos de experiência no futebol profissional, como jogador, técnico e gerente. Ao longo desta trajetória no ‘Mundo da bola’, Pinho já trabalho em mais de 60 clubes e conquistou mais de 15 títulos. Neste ano, o “Rei do Acesso” dirigiu o Comercial de Ribeirão Preto. Assim como o América, o time disputou a quarta divisão estadual e conseguiu o vice-campeonato. Com o segundo lugar, o clube vai disputar no ano que vem o Paulista da Série A-3.

“Quando cheguei no Comercial peguei um clube desacreditado e falaram que era louco de acreditar no acesso. Veio as vitórias, o estádio passou a encher e jogar junto com o time em campo. Tenho uma história bonita, sou o mais velho do Brasil em atividade e tenho orgulho disso. Tenho uma cabeça jovem, sou estudioso e não penso em largar o futebol. Fiquei feliz pelo convite de ser o técnico do América e quero retribuir essa confiança levando o clube a outro patamar”, conclui.

Por Vinicius MAIA

Colaborou: Cláudio Lahos

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS