Cerca de 300 bicicletas estão abandonadas em Centro dos Correios em Rio Preto

Cerca de 300 bicicletas estão descartadas no Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas em Rio Preto, segundo o presidente do sindicato

Em meio à paralisação de parte dos trabalhadores dos Correios em Rio Preto, um descarte de aproximadamente 300 bicicletas, amontoadas no Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas (CTCE) da cidade, gerou críticas à instituição por meio do presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, Sérgio Pimenta.

Segundo ele, as bicicletas, quebradas por diferentes motivos, foram abandonadas porque o próprio Correio alegou que não tinha recursos para concertá-las.
“As bicicletas foram quebrando e no começo os próprios carteiros arrumavam, mas por conta própria. O Correio então justificou que não tinha verba para arrumá-las e mandou recolher. Mas, são todas bicicletas que poderiam estar rodando e estão paradas. Ou seja, um descaso com o dinheiro público”, explicou Sérgio Pimenta.

Ainda de acordo com o presidente, dos 200 carteiros que trabalham em Rio Prato, apenas 60 ainda têm suas bicicletas. “É muito ruim ficar sem. Porque se ele precisa fazer entregas em um setor que é próximo da sede e gastaria 20 minutos com a bicicleta, sem o veículo ele acaba levando uma hora para chegar”, afirmou.
Procurado pela reportagem, a assessoria de imprensa dos Correios disse que irá apurar as informações e, assim que o levantamento foi concluído, será enviada uma resposta oficial.

Em resposta enviada após a publicação da matéria os Correios afirmou:

Não procede a informação de que as bicicletas foram “descartadas e deixadas” no Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas – CTCE São José do Rio Preto. Elas encontram-se em processo de alienação por venda. Ressaltamos que esses equipamentos já foram substituídos por novos. O uso das bicicletas pelos carteiros é dimensionado por distrito. Quanto à manutenção de bicicletas, esta é feita pelos Correios.

GREVE
Na tarde de ontem, a greve dos Correios teve um novo desfecho. O vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Emmanoel Pereira, reconheceu como abusiva a greve iniciada no último dia 19. Em seu despacho, o ministro declarou que “houve adesão à greve com a negociação ainda não encerrada, o que implica na abusividade”.

Com isso, seguindo o despacho do ministro, os Correios determinaram que os empregados que aderiram à greve devem retornar imediatamente ao trabalho. Porém, mesmo com a decisão, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, Sérgio Pimenta, diz que a greve continua e que na próxima segunda-feira, às 10h, será realizada mais uma assembleia para definir os próximos passos.

 

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS