Centro de Hidratação recebe 15 poltronas para ampliar atendimento

Inaugurado em fevereiro, o Centro de Hidratação tinha 55 leitos destinados a pacientes com dengue. Com o avanço da epidemia, 15 novas poltronas tiveram que ser adicionadas ao espaço especializado que já recebeu mais de 5 mil pacientes em 72 dias de funcionamento.

Apesar do grande fluxo de casos da doença na cidade a expectativa é de que o número de pessoas encaminhadas para o espaço seja cada vez menor. A gerente do Centro de Hidratação, Valdice de Souza, explica as ações feitas pela prefeitura devem ajudar a amenizar a proliferação do mosquito.

“Na metade de março nós observamos que não seria possível atender a demanda de pessoas com apenas 50 leitos, então trouxemos essas poltronas para auxiliar nas medicações. Mas os casos da doenças devem diminuir e junto diminui também a lotação”, informa.

Com um atendimento de 70 pessoas diariamente o horário de maior fluxo do espaço é na parte da tarde. Ainda segundo Valdice, o motivo são os fins de expedientes de trabalhos, ou seja, muitos pacientes trabalham com os sintomas da dengue e só procuram o atendimento após saírem do serviço ou quando não suportam mais as dores.

Esse foi o caso de Maria Lucia Chaga, de 56 anos. A agente comunitária de saúde que trabalha nas vistorias em bairros de Rio Preto, contra o mosquito Aedes aegypti, começou a sentir os sintomas da dengue na madrugada de sábado.

Após tentar trabalhar no seguinte percebeu que não teria forças, então passou pelo atendimento de uma UBS onde foi encaminhada para a hidratação.

Com a doença pela segunda vez a agente conta que os sintomas desta vez foram bem piores e por isso está frequentando diariamente o Centro. “As dores são bem piores dessa vez do que da primeira, não tenho conseguido dormir e nem comer e quando fico aqui no Centro de Hidratação recebo esse cuidado especial que eu não teria em casa. Está sendo extremamente importante pra mim essa equipe de recuperação”, conta Maria.

Apesar de aumentar o número de pacientes, a quantidade de profissionais trabalhando no local continua a mesma. A equipe conta diariamente com dois médicos, duas enfermeiras e seis técnicos de enfermagem.

Colaboração Thais LOBATO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS