CDP de Paulo de Faria é inaugurado com a missão de desafogar sistema prisional

O novo presídio, inaugurado ontem, custou R$ 51,3 milhões e pretende desafogar o sistema prisional do Estado

Foi inaugurado nesta terça-feira, dia 3, o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Paulo de Faria. O local tem capacidade para abrigar 823 detentos em regime fechado e como missão ajudar a desafogar o sistema prisional no Estado de São Paulo.

A unidade prisional teve investimento de R$ 51,3 milhões, com R$ 21,7 milhões do Governo Federal por meio do Departamento Penitenciário Nacional, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e o restante do Governo do Estado. O total de área construída é de 11.514,18 metros quadrados e está localizada na Rodovia Armando Salles de Oliveira.
De acordo com o governador João Doria (PSDB), a unidade prisional vai expandir a oferta do sistema prisional em São Paulo. “Nós temos o maior sistema prisional do país. São tem 238 mil presos. É um terço de todo o Brasil”, disse.

O CDP é totalmente automatizado e foi desenvolvido por técnicos da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP). O local conta com um sistema automático para abertura e fechamento de portas sem que os funcionários tenham contato direto com a população carcerária.

A nova unidade conta também com todos os equipamentos de segurança, incluindo equipamento de raio-x, portal detector de metal e escâner corporal.

Os novos CDPs possuem pavilhões de trabalho e de serviços como cozinha industrial – onde os próprios presos preparam os alimentos –, salas de aula e de inclusão, saúde lavanderia e padaria. Esses últimos já existentes nas penitenciárias.

O Centro de Detenção Provisória é um estabelecimento para presos que aguardam julgamento. Esta unidade foi projetada com características diferenciadas, aproveitando as experiências dos que já estavam em funcionamento.

Só para se ter uma ideia em relação a superlotação. O Centro de Detenção Provisória (CDP) de Icém, inaugurado em 2017, já está acima da capacidade da sua população prisional. A unidade pode receber até 847 detentos, mas está com 992.
Em Rio Preto, a situação do CDP não é muito diferente. O local tem capacidade para receber 844 detentos, mas sua população prisional é de 864.

Por Vinícius LOPES

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS