Casos chegam a 10.346, mas curva de crescimento recua de 22% para 13%

Eliminação de criadouros do Aedes é preocupação das autoridades

Rio Preto começou a registrar queda na incidência de dengue após as 17 primeiras semanas de 2019. Em todo o país, a incidência da doença subiu 224%, mas na cidade o percentual de aumento no número de casos da semana passada para esta foi de 13%. Nas semanas anteriores, o índice médio era de 22%.

Até ontem, 3 de maio, a Vigilância Epidemiológica já havia contabilizado 21.308 notificações de dengue, com 10.346 casos positivos e 3.553 casos já descartados. Além disso, 7.409 registros ainda estão sendo investigados e seis mortes já foram confirmadas em decorrência da doença. Outras duas mortes estão sendo investigadas e aguardam confirmação do Instituto Adolfo Lutz, uma delas é do ex-vereador rio-pretense Alcides Zanirato.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Rio Preto informou que epidemias de dengue seguem uma tendência de aumento de casos até a Semana Epidemiológica número 17, o que neste ano representa o final de abril e início de maio.

“Durante algumas semanas pode-se ficar com um platô de casos, ou seja, manter um número considerável constante por algumas semanas e posteriormente começar a declinar. Assim, podemos inferir que estamos em um possível período de platô da doença e todos nós precisamos intensificar as ações de controle e buscar atendimento se apresentar sintomas de dengue que são: febre acompanhada de dois ou mais sintomas: dor de cabeça, dor no corpo, dor atrás dos olhos, manchas pelo corpo, náusea, vômitos e outros”.

Em comparação ao ano de 2018, Rio Preto registrou um aumento de 475%. No ano passado, foram 3.705 casos notificados, 674 casos positivos e nenhum óbito.

Hoje, 4 de maio, o município continua realizando ações para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. O objetivo da Secretaria de Saúde é mobilizar a população para o combate à dengue e também para a importância da vacinação contra a gripe. Durante a ação, que ocorrerá das 8h às 14h, os agentes vão vistoriar os imóveis à procura de focos do mosquito, e distribuir panfletos de orientação sobre a campanha de vacinação.

A expectativa é de que 230 agentes vistoriem 7.500 imóveis. Desde o início do mutirão, em fevereiro, 55 mil residências já foram vistoriadas pelos agentes de saúde.
A pasta orienta que os moradores permitam a entrada dos profissionais nas residências. Todos os profissionais estarão identificados com crachá, calça azul marinho e camiseta azul claro, com logotipo da prefeitura. Durante a vistoria, os possíveis criadouros serão eliminados. A população ainda será orientada sobre os cuidados para manter os ambientes livres de focos do mosquito Aedes e poderá tirar dúvidas.

Além dos números de Rio Preto, o Ministério da Saúde divulgou na última terça-feira (30) novos dados sobre dengue, zika e chikungunya. Até o dia 13 de abril de 2019, foram registrados 451.685 casos prováveis de dengue no Brasil, um aumento de 339,9% em relação ao mesmo período do ano passado. No mesmo intervalo de 2018, os casos registrados chegaram a 102.681.

Previsão de chuva para próxima semana deixa moradores em alerta contra dengue

De acordo com o Clima Tempo, até a próxima quarta-feira, 8 de maio, Rio Preto pode registrar pancadas de chuva a qualquer hora do dia. Ontem, 3, uma chuva rápida atingiu a cidade e região, deixando bairros alagados e sem energia elétrica. O período acende um alerta na população de proliferação do mosquito Aedes aegypti.

As orientações para o período são para manter sempre tampados os vasilhames, observar se as plantas estão acumulando água, sempre que chover dar uma olhada no quintal para ver se tem água acumulada e derramar caso tenha, além de não deixar as garrafas com a ‘boca’ para cima para não acumular água. São indicações simples, mas que muita gente insiste em esquecer.

O alerta é sério e nunca é demais. Os ovos do mosquito podem sobreviver até 450 dias até terem contato com a água e, então, eclodirem. Então é preciso redobrar a atenção.

Centro de hidratação contra dengue tem média de 65 atendimentos por dia

Com 76 dias de funcionamento, o primeiro Centro de Hidratação de Rio Preto para tratar doentes com dengue já atendeu 4.946 pessoas desde a sua inauguração, em 18 de fevereiro. Uma média de 65 atendimentos por dia.

O local é uma das estratégias adotadas pelo município para combater a dengue neste ano. Lá os pacientes recebem atendimento especializado, 24 horas por dia, em 50 leitos disponíveis.

O morador que apresenta sintomas da doença não deve procurar o centro diretamente. Para ser atendido, o munícipe deve passar primeiro por uma unidade básica de saúde, onde será comprovada pela equipe médica a necessidade de transferência para o Centro. Nos casos de dengue de maior gravidade, o direcionamento será aos hospitais.
Por Jaqueline BARROS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS