Carlão dos Santos se explica à Comissão

Carlão - Vereador disse que funcionários não sabiam.

A Comissão que investiga supostas irregularidades na compra de materiais de construção pela Emcop na loja do vereador Carlão dos Santos (SD) ouviu ontem o parlamentar, que garantiu não tinha conhecimento das compras efetuadas pela empresa em seu estabelecimento. De acordo com a Lei Orgânica do Município, vereadores não podem manter qualquer relação comercial com o Executivo.
Segundo o vereador, havia um funcionário responsável pela parte de cotações de preços em compras inferiores a R$ 8 mil (que podem ser feitas sem licitação), Júlio César Saravali, mas que foi demitido há cerca de dois meses. “Sabia que empresa não poderia vender. Não tinha ciência quanto à compra livre”, sustentou Carlão. “Funcionários não sabiam também”, afirmou.
Hoje é a vez do ex-presidente da Emcop, José Antônio Basílio. “Essas compras de Balcão são realizadas pela equipe de compras. Quando chega a presidência, já passou pelo administrativo, pelo financeiro com os três orçamentos e eu só verifico qual é o menor”, adiantou Basílio ontem à reportagem. “Numa empresa, não tem como você ligar na hora (para checar), até porque os valores são ‘irrelevantes’. Não existe a presença física na compra e também acredito que não houve má-fé do vereador”, completou.
Também serão ouvidos, mas na segunda-feira (24), a chefe do departamento de compras da Emcop, Ivana Rodrigues, e o advogado da empresa, Renato de Almeida Lombarde.

Por Lucas ISRAEL

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS