Baixa produção do etanol nas usinas impulsiona disparada nos preços nos postos

Tendência do setor é de novas altas nos preços dos combustíveis em Rio Preto (foto: Cláudio Lahos)

Mais uma vez o preço dos combustíveis disparou da noite para o dia nos postos de combustíveis de Rio Preto. No começo do mês, o litro do etanol podia ser encontrado a R$ 2,59, depois do feriado da Sexta-Feira Santa, o litro do etanol passou a custar em média R$ 2,89. No caso da gasolina, o combustível sofreu reajuste e o preço saltou de R$ 4,10 para R$ 4,39 nos postos da cidade.

De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro) de Rio Preto, Roberto Uehara, o motivo da alta dos preços está relacionado a um conjunto de fatores, dentre eles o aumento do dólar que influi no valor do barril de petróleo e do preço repassado da Petrobras para as refinarias.
Uehara também apontou que muitas usinas de produção de etanol estão com a produção paralisada nesta safra ou também em recuperação judicial para elevação do preço.

“Aumentou a procura pelo etanol, porém as usinas não estão produzindo, consequentemente os preços aumentam, e uma coisa leva a outra, já que 27% do etanol anidro é misturado na gasolina comum”, explica.

Em relação ao reajuste da gasolina, o presidente da Sincopetro Rio Preto disse que os postos de combustíveis absorveram o aumento diante dos sucessivos reajustes da Petrobras nas refinarias.

Sobre a situação da falta de produção de etanol pelas usinas, Roberto Uehara diz que a situação é grave. “Existe a procura e a oferta do etanol diminuiu. Não tenho dúvida que o preço do etanol terá novos aumentos”, declara.

Peso no bolso
O consumidor que teve que abastecer seus veículos no final de semana sentiu no bolso o novo preço cobrado nos postos da cidade. “É sempre assim, o aumento no valor de um preço puxa sempre para o aumento do outro e quem paga o pato somos nós consumidores”, afirma o gerente de padaria, Fabiano Crepaldi.

Ele diz que acostuma abastecer seu veículo com etanol e viu o aumento no preço por quatro vezes em um mês. “Cheguei a pagar valor de R$ 2,55, depois foi para R$ 2,65, semana passada o preço era R$ 2,74 e agora esse novo aumento”, aponta.

O comerciante Ricardo Santana também notou o aumento no preço do combustível. “Cada vez o preço do álcool sobe. Como utilizo carro para entrega de encomendas, não tem como ficar sem combustível”, finaliza.

Por Vinícius MAIA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS