Bairro Solidariedade vai ganhar cursos, atividades culturais e esportivas

Foto ARQUIVO/DHOJE

Espaço Viver Bem, que será em contêineres, está em fase de implantação para operar em janeiro

A Prefeitura de Rio Preto, por meio da Emcop – Empresa Municipal de Construções Populares, e parceria com a Caixa Econômica Federal, mais uma vez está trabalhando para melhorar a vida dos rio-pretenses. Os moradores do bairro Solidariedade, que tem pouco mais de um ano e meio de existência, a partir de janeiro já poderão usufruir todos os benefícios que o projeto Espaço Viver Bem proporciona, que já está em fase final de instalação.

O Espaço Viver Bem, projeto já implantado nos bairros Nova Esperança e Lealdade e Amizade, atua como facilitador para a comunidade e tem por finalidade proporcionar reintegração social, gerando convivência saudável por meio de atividades esportivas, recreativas e profissionalizantes, por um ano.  “Estamos organizando tudo com muito carinho e dedicação, para que o projeto no bairro Solidariedade cumpra seu objetivo. Inicialmente, temos parceria e verba disponível para um ano de projeto, mas a exemplo dos bairros Nova Esperança e Lealdade e Amizade, conseguimos fazer um trabalho excepcional estendendo por quase dois, e é dessa forma que iremos trabalhar também no Solidariedade”, afirma Adão Morais, presidente da Emcop.

 

Espaço físico

Visando ter uma estrutura física sustentável além de ser mais prática para ser construída, a comissão de desenvolvimento do projeto sugeriu que a sede recebesse instalação de contêineres ao invés de  alvenaria.  “Desde o início, cogitamos a ideia de contêiner, principalmente por não termos um espaço físico disponível no empreendimento, por isso, quando formalizamos a proposta para a Caixa, que é mantenedora da verba, os responsáveis já acataram e deram andamento para a instalação o mais rápido possível.”, explica Morais.

Os contêineres, a princípio, seriam alugados, mas com a aprovação da Caixa para a compra os equipamentos ficarão para o município ao final da execução do projeto, cuja previsão é de um ano.

 

O projeto

O projeto, que é uma exigência do Ministério das Cidades (MC), faz parte do Plano de Desenvolvimento Socioterritorial do Município, e recebe o nome Espaço Viver Bem conforme o conceito que foi elaborado pela Emcop, desde sua primeira implantação. “Todos os empreendimentos que se encaixam como sendo de Faixa 1 precisam ter um percentual do total da verba destacado para ações sociais, que fazem toda a diferença, já que que as famílias nessa faixa de investimento são de baixa renda e precisam de um meio facilitador a determinados tipos de serviços, como por exemplo, formação profissional.”, afirma o presidente da Emcop.

Durante a elaboração do projeto, a Emcop realizou várias pesquisas nos principais eixos de atuação do município até que tudo ganhasse forma e fosse aprovado pela Caixa. Com base nessas pesquisas, foram designadas quatro frentes de trabalho perante a população: 1) Mobilização, organização e fortalecimento social; 2) Acompanhamento e gestão social da intervenção; 3) Educação ambiental e patrimonial; 4) Desenvolvimento Socioeconômico. Esses conceitos se encaixam nas diretrizes da Portaria 21 do Ministério das Cidades, de janeiro de 2014.


Inscrições

A previsão para o início das atividades do projeto Espaço Viver Bem Solidariedade é no mês de janeiro. Várias atividades, oficinas e cursos serão oferecidas à população sem nenhum custo. A temporada de inscrições deve começar ainda em dezembro. “Como ainda estamos no processo de organização do espaço físico, não temos certeza de quantas atividades conseguiremos alocar, mas a princípio serão esportivas, culturais para as crianças e adolescentes, e cursos de geração de renda, como porteiro e vigia, manicure e pedicure, informática e entre outros. Quanto às inscrições, as 1300 famílias que moram no Solidariedade podem ficar tranquilas, que é de praxe avisarmos por algum meio. Sempre colocamos carro de som para propagar a notícia,” finaliza Adão.

 

Da REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS