Aumenta procura por vacina contra sarampo em Rio Preto

Natália, com o filho André atualizando a caderneta de vacinação

Casos registrados no País acenderam o alerta na cidade que aumentou em 61% as doses aplicadas da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba.
Rio Preto investiga quatro casos suspeitos de sarampo. A cidade que não tem confirmação da doença desde 2000 traçou agora um plano de prevenção e, adotou medidas para imunizar populações que estão mais expostas ao vírus.

Na rede pública do Município a busca pela vacina aumentou 61%. De acordo com a Secretaria da Saúde de 1º a 25 de julho foram aplicadas 3050 doses da vacina tríplice viral, contra 1.884 doses administradas em todo o mês de julho. Foram 900 doses para crianças menores de dois anos, 581 para crianças de dois anos e adultos até 29 anos e mais 1.569 para maiores de 30 anos. A preocupação maior é com relação a imunização de bebês entre 12 e 15 meses. A cobertura vacinal para este grupo, segunda dose, está em 89%, quando o ideal seria 95%.

Marina, estudante de enfermagem, recebe a dose da vacina antes de viagem internacional

Andreia Negri, gerente da Vigilância Epidemiológica de Rio Preto disse que os casos suspeitos registrados na cidade passaram por bloqueio e, já estão fora do período de transmissibilidade.

“Todos os pacientes com quadro suspeito para a doença são adultos, tiveram material coletado e, as amostras foram enviadas para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. A mobilização maior foi em relação a um residente da área de Ginecologia e Obstetrícia da Famerp, que atende pacientes no HCM. Todos que tiveram contato com ele já foram imunizados”, destacou.

As pessoas que tiveram contato com o médico serão monitoradas até o próximo dia 8 de agosto, quando termina o período de incubação do vírus que é de 18 dias. A Saúde suspeita que o caso seja importado, já que o profissional esteve em Matão, no mês de junho.

Só ontem a Unidade Básica de Saúde Central imunizou 67 pessoas contra o sarampo. A estudante Marina Tirado Godoi, 22 anos, procurou a unidade antes de deixar o Brasil. “Além da viagem agendada para o exterior, a minha preocupação é com relação a circulação do vírus no meu local de trabalho. Curso enfermagem e, estamos bem mais expostos a doença do que os demais”, finalizou ela.

Natália Affini é mãe de André Vitorino Affini Junqueira, de apenas quatro meses. Ele ainda não tem indicação para a vacina, mas ontem ela esteve na unidade para atualizar a caderneta do filho. “Me preocupo com a situação, mas estou tranquila. Minha obrigação é manter o calendário vacinal dele em dia”.

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmitida pela fala, tosse e espirro, e extremamente contagiosa. Os sintomas são febre alta, acima de 38,5°C; Dor de cabeça; Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo; tosse; coriza; conjuntivite.

Devem ser imunizados bebês com 12 meses (primeira dose) e 15 meses (segunda dose). Adultos até 29 anos também devem receber duas doses da vacina. A partir dos 59 anos não é preciso se imunizar.

A campanha nacional de vacinação será realizada entre 6 e 31 de agosto. No 18 de agosto, postos de saúde em todo o Brasil estarão abertos para imunizar quem não recebeu doses da vacina. Em Rio Preto, as doses já estão disponíveis em qualquer uma das 27 Unidades Básicas de Saúde.

 

Por Jaqueline BARROS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS