Aumenta procura de manutenção em ar-condicionado

 

O ar-condicionado já faz parte da vida dos rio-pretenses – aqui com o calor lá em cima não é luxo e sim necessidade. Mas, o que muitas pessoas precisam saber é que não basta somente instalar o aparelho na parede ou janela e desfrutar de seus benefícios, pois a manutenção periódica é de suma importância. Entre alguns problemas mais frequentes estão o pinga-pinga, odor, filtros sujos, baixo resfriamento e aumento do consumo de energia. Na realidade esses problemas são sintomas de que o equipamento precisa urgentemente de manutenção. Em Rio Preto, com o calor intenso e os termômetros ultrapassando a casa dos 35ºC, houve nos últimos dois meses um aumento de 40% na procura pela instalação ou manutenção.

Dhoje Interior

De acordo com o engenheiro mecânico, Jorge Sobradiel, responsável pela manutenção de uma empresa do ramo na cidade, o setor comemora os resultados obtidos neste segundo semestre. “Houve uma procura de 30 a 40% pelos serviços devido às altas temperaturas registradas em nossa cidade. Os serviços são feitos em  carros e caminhões”, destaca.

Segundo ele, o mais aconselhável é contratar alguém que faça a manutenção preventiva, realizada a cada seis meses. O filtro, que retém poeira, deve ser limpo a cada dois meses, dependendo do que vem indicado no manual de instruções do aparelho ou do veículo. Esse tipo de cuidado tem o objetivo de prevenir futuros problemas com o equipamento, como vazamentos, quebra de peças e panes em geral. É importante ressaltar que, mesmo sendo possível lavar o filtro do ar-condicionado a qualquer hora, é muito importante fazer uma limpeza profunda em todas as peças, o que inclui a lubrificação de todo o aparelho, tanto da unidade interna (evaporador) quanto da externa (condensador).

Para isso, é sempre recomendável buscar um especialista no mercado e que, de preferência, seja indicado por algum conhecido que já tenha realizado um serviço com o profissional. Abraão Marcondes, técnico em refrigeração, explica que os problemas mais comuns nos aparelhos de ar-condicionado são a queima de componentes, como os compressores, cujo custo pode chegar a até 60% do equipamento. Ele explica que tanto a manutenção preventiva como a corretiva devem ser feitas sempre com consciência e baseadas nas normas da Vigilância Sanitária.

“Proporcionamos um ambiente com ar puro, sem fungos, livre de bactérias e ácaros, visando sempre à saúde dos usuários. Isso porque doenças respiratórias e alérgicas, além de fungos e bactérias, podem surgir e ser propagados no ambiente com ar-condicionado devido à falta de manutenção”, alerta Abraão. Para uma boa manutenção e aumento da vida útil do equipamento, ele sugere a limpeza mensal, seguindo recomendação da Vigilância em Saúde, principalmente no local onde o ar é muito usado. Em média, a empresa de Abraão recebe uns 20 chamados por semana e o custo da manutenção pode variar entre R$100 a R$150 por aparelho.

Esse aumento na procura pela manutenção de ar-condicionado, tem reflexos em escolas especializadas que oferecem cursos e treinamentos específicos em Rio Preto. De acordo com Américo Martins Júnior, responsável pela Thermo Cursos, explica que a escola foi criada há cinco anos com o intuito de capacitar profissionais para lidar com a instalação e manutenção de climatizadores e ar-condicionado. “Hoje em nossos cursos temos de 8 a 12 alunos por turma, para atender a demanda de serviços particulares e de empresas prestadoras do ramo”, diz.

Por: Harley PACOLA