Atividades extracurriculares ajudam a estimular o raciocínio e desenvolver habilidades desde muito cedo

Foto Divulgação

Além de ser favorável à socialização e evitar o excesso do uso das tecnologias, atividades extracurriculares estimulam o raciocínio e desenvolvem responsabilidade, independência, disciplina, além de ajudar a despertar o gosto pelo conhecimento desde a primeira infância. É nesta fase que o cérebro se torna mais ativo e por isso as crianças têm mais facilidade em reter e memorizar informações. Ensinar a criança desde cedo a ajudará nos estudos futuros, isto é, ela terá mais agilidade em aprender conteúdos novos.

“Acreditamos que a cada criança deve ser tratada individualmente, inclusive com relação ao tempo de aprendizado. Um dos nossos objetivos é incentivar a autonomia nos estudos, buscando fortalecer o potencial de cada um”, diz Giovana Maria de Almeida, orientadora pedagógica do Kumon em Rio Preto. A rede de franquia disponibiliza um material didático focado e individualizado, “fica mais fácil descobrir quais são as fortalezas e dificuldades de cada criança”, completa Giovana.

Despertar o gosto pelo conhecimento e ensinar a criança desde cedo a ajudará nos estudos futuros. A mãe de Larissa, Idelfia dos Santos, conta que, depois que a família encontrou um método para potencializar o hábito pela leitura e a melhora em algumas disciplinas, a menina tornou-se comprometida com os horários de estudo, fazendo a lição de casa todos os dias. “Na escola, ela melhorou o rendimento de notas”, diz a mãe.

É muito importante que a criança desenvolva simultaneamente as capacidades lógicas e linguísticas que, além de serem habilidades necessárias para a vida, são a base para todas as outras disciplinas. “Levamos em consideração o incentivo à leitura de livros desde o período de alfabetização. O contato com diferentes tipos de texto amplia o vocabulário e a criatividade dos alunos, tornando a aprendizagem uma atividade prazerosa”, finaliza a orientadora.

Com a Clara, filha da Marrie Ometto, Economista e Influenciadora Digital, aconteceu a mesma coisa. Desde muito cedo a mãe proporciona uma rotina organizada para filha. “A criança precisa de horários para realizar as atividades, mas sem deixar as brincadeiras de lado. Criança tem que ser criança. Este ano, além da escola regular, ela começou com as aulas extracurriculares de matemática e inglês. Desde o início ela se adaptou muito rápido”, diz Marrie. Hoje, a menina de quatro anos também faz aulas de ballet e adora brincar em casa. De acordo com a mãe, ela é uma menina motivada, já tem um grande senso de responsabilidade. Conteúdo especial Harley PACOLA

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS