Atendimento nos Caps para usuários de drogas será ampliado

Para elevar a eficiência dos atendimentos aos pacientes da Rede de Saúde Mental, os serviços oferecidos nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) serão ampliados. Por outro lado, a abertura de novos leitos em hospitais psiquiátricos foi vetada. Assim, os esforços estarão voltados para o aprimoramento do sistema.

A medida foi aprovada por uma resolução do Ministério da Saúde. Um levantamento da pasta constatou que em 16% dos Caps não houve atendimentos, enquanto 80% das vagas em unidades hospitalares não eram utilizadas. Por isso, a ação vai direcionar os esforços para os serviços de maior demanda da rede.

Agora, os Caps passam a funcionar em regime de 24h para atendimentos multidisciplinares de emergência e urgência direcionados para o tratamento de usuários de drogas, sobretudo de crack, que passem por situações extremas.

Outra medida prevista é a formação de grupos de Assistência Multiprofissional de Média Complexidade em Saúde Mental, cujo cuidado está voltado para os atendimentos secundários a essa população. Desse modo, a pasta pretende articular os serviços de atenção básica.

Caps

Os Caps são espaços destinados ao atendimento a pacientes que sofrem de transtornos mentais. Um dos principais objetivos desses locais é proporcionar a reintegração dos pacientes na sociedade, a partir do tratamento médico e psicológico. Por isso, a reforma psiquiátrica privilegia esses centros ao invés das internações. Hoje, as unidades mais complexas funcionavam até as 21h.

Além disso, como parte da reforma psiquiátrica, de 2002 a 2015, a quantidade de leitos em hospitais psiquiátricos caiu 51,3%, passando de 51.393 para 25.009. A medida está de acordo com a proposta da reforma.

Da Redação

Fonte: Governo do Brasil

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS