Artista expões suas obras na Casa da Cultura

A Prefeitura de Rio Preto, por meio da Secretaria de Cultura, vai apresentar a exposição Universo Abstrato, com 17 telas do artista plástico Xiko de Oliveira, na Casa de Cultura, até o próximo dia 27.

Xiko nasceu em Rio Preto, mas mora em Brasília desde 1969. “É a primeira vez que exponho em minha terra e isso me enche o peito de alegria. Estou me dedicando de corpo e alma a essa mostra. Meu trabalho, no geral, é uma fusão de memórias da infância no Interior com experiências vividas ao longo do tempo, pelas minhas viagens ao Brasil afora,” afirma.

Ele começou a pintar em 1976, utilizando a técnica acrílica sobre tela que mantém até hoje. Até então não tinha nenhuma experiência em desenho e pintura. Nos anos 80, começou a frequentar o ateliê do artista plástico venezuelano Maldonado Diaz, e sentiu-se atraído pela arte naïf, pela qual se decidiu. Hoje, ele transita pelo abstrato, experimentando novos caminhos artísticos. “Interessei-me pela arte com paixão. Era isso que eu queria. Pra mim, arte é uma fusão de sentimento com aquilo que você está vendo. É liberdade. Sem normas. Tudo o que o artista quer é ser livre,” disse Xiko em entrevista na Secretaria Municipal de Cultura.

Para sua atual fase, o abstrato naïf, ele se inspira em Manabu Mabe (1924-1997), pioneiro do abstracionismo no Brasil, de quem é admirador profundo. A partir de 1977, Xiko começou a participar de exposições, começando com uma coletiva no clube do Congresso Nacional.

Continuou sua produção na década de 90 sem interrupção. Em julho de 2003, realizou exposição individual no espaço cultural do Tribunal Regional Federal na 1ª região em Brasília. Em novembro do mesmo ano, fez exposição individual no espaço cultural da Câmara dos Deputados, Brasília. Em dezembro, participou de coletiva no Tribunal Superior Eleitoral e da exposição anual dos artistas plásticos de Brasília.

Entre outras exposições seguintes, Xiko integrou por duas vezes a coletiva Open your World, no Brick Center For The Arts in Ocala, Flórida, Estados Unidos. Na segunda, em 2006, ele ganhou o primeiro lugar entre artistas de vários países.

Outras exposições: individual no Banco de Boston, na Flórida (2007); coletiva na cidade de Cabo Canaveral (2009); 2014 no Tribunal Regional Federal, etc.

Desde o ano passado, ele frequenta o ateliê do artista plástico Lourenço de Bem, onde desenvolve trabalhos abstratos.

 

Da Reportagem

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS