Após impasse sobre abertura das lojas, Calçadão de Rio Preto tem leve movimentação no feriado

MOVIMENTO - No Calçadão de Rio Preto foi fraco mais uma vez (Foto: Guilherme Ramos)

Em meio a muitas lojas fechadas e uma movimentação tímida por parte dos consumidores, os comerciantes do Calçadão de Rio Preto, que decidiram abrir as portas no feriado da proclamação da república, não encontraram grande adesão por parte do público e alegam como consequência a baixa divulgação sobre o funcionamento das lojas e divergências entre o Sincomércio e o Sindicato dos Empregados. Já que o primeiro definiu como horário de funcionamento das lojas das 12h às 18h e o segundo das 9h às 15h.

Para o gerente da loja Aviva Calçados, Marcelo Schuintt, apesar do impasse sobre o funcionamento e a falta de divulgação de que as lojas abririam, há uma boa expectativa em relação à movimentação. “A gente tem a expectativa de que vai ser melhor, porque é um feriado no meio da semana e depois de ter muita discussão e dúvida sobre a abertura, os lojistas se uniram, principalmente da parte central da cidade, e conseguiram na justiça exigir o direito de abertura, que já era previsto em convenção”, comentou.

Para a estagiária Daiane Santos, diz que a correria durante a semana e a falta de tempo foram os motivos que levaram a jovem a fazer compras no Calçadão neste feriado. “A gente aproveitou e viu que ia abrir do meio-dia às 18h e veio para cá fazer umas comprinhas. Por aqui estou atrás de roupas, cosméticos e biquíni”, disse.

Devido à proximidade da parcela do 13º e das datas comemorativas do final de ano, a gerente da Loja Megajeans Caroline Canova, espera uma movimentação maior por parte de clientes de outras cidades da região de Rio Preto. “A gente sabe que vai ser um pouco tranquilo, porque está no meio da semana e não tem como emendar, mas a expectativa é pro pessoal de fora, pessoas das cidades vizinhas estar visitando Rio Preto. A gente espera um crescimento de 2 a 6% anual, a gente sempre espera isso tanto em mês de vendas quanto de um dia para outro de feriado”, ponderou.

O empresário Osvaldo Marques ressaltou que as informações desencontradas a respeito do horário de funcionamento atrapalha o comércio. Ele foi com a família pela parte da manhã para o calçadão, encontrou as lojas fechadas e descobriu que o horário de abertura seria a partir do meio-dia. “A gente veio aqui em busca de coisas para as crianças, mas as opções encontradas aqui devido ao pouco número de lojas abertas não satisfez”, concluiu.

Fonte: Priscila Carvalho – Redação jornal DHoje Interior 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS