Após acidente, meninas do vôlei feminino sub-16 retornam as quadras

Time não jogava desde o dia 15 de maio, quando sofreu acidente de ônibus voltando de Urupês

Pouco mais de três meses depois do acidente sofrido na Rodovia Roberto Mário Perosa, no Km 479, quando o ônibus em que voltavam de Urupês, com 29 pessoas, tombou no acostamento, a equipe sub-16 do vôlei feminino de Rio Preto voltou as quadras na tarde do último sábado (26), para encarar José Bonifácio, no ginásio Natalone, pelo campeonato regional inter-prefeituras.

Mesmo com o apoio de amigos e familiares presentes na torcida, a equipe, que ainda não tem a levantadora Gabi, que só deve voltar em 2018, e Beatriz, que se recupera de dores na coluna e retorna aos treinos nesta semana, acabou não jogando tão bem e foi derrotada por 2 sets a 0, com parciais de 25/12 e 25/19, mas o que ficou, além da partida, foi a volta por cima de toda a equipe.

Dhoje Interior
Equipe lutou muito no segundo set, tirou grande diferença, mas não conseguiu vencer José Bonifácio

“Nossa. Foi muito bom. A gente estava muito nervosa em quadra, muito mesmo. Por ser nosso primeiro jogo, contra um time que não é fácil, elas sabem jogar, mas foi bom para gente. Vamos voltando aos poucos, cada vez melhor”, disse a líbero da equipe, Ana Luiza, que já planeja a vitória no próximo jogo.

“A gente está com medo da quadra, de entrar em quadra. Mas agora, aos poucos, nós vamos voltando, nos acostumando, estamos mais unidas do que nunca e agora é bola pra frente, ir para o próximo, que o próximo a gente ganha”, afirmou.

Para Maicon Cardoso, treinador do time sub- 16 rio-pretense, a derrota, claro, não era o resultado mais esperado, mas o retorno da equipe as quadras foi motivo de comemoração. “Foi muito bom. Não foi o placar que a gente queria, mas elas estão na fase de adaptação. Pedimos na liga para jogar os jogos da primeira fase em casa, para não ter a viagem. Vamos viajar aos poucos. Tem algumas meninas que estão com receio de viajar, tem medo, então isso acontece. Mas elas já absorveram a situação. Não vão esquecer tão fácil, mas devagar temos fé que vai passando tudo”, finalizou o técnico, que também comanda os time sub-14 e sub-12.

Marcelo Schaffauser