‘Anoitecer por Marielle’ pede justiça e defesa da democracia em Rio Preto

Divulgação

O assassinato da ex-vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes completa um ano nesta quinta-feira (14): os dois foram brutalmente assassinatos no Rio de Janeiro quando saiam de uma atividade política. Apesar da prisão de dois suspeitos pelas execuções ocorridas nesta semana, as equipes policiais continuam as investigações para identificar o mandante do crime.

Manifestações e protestos estão marcados para cobrar a solução completa dos homicídios em todo o país. Em Rio Preto, o encontro está marcado para 19h desta quinta-feira, em frente à Câmara Municipal, o ato ‘Anoitecer por Marielle’.

“Lutar por justiça a Marielle é lutar pelas mulheres”, defende uma das organizadoras do evento, Natália Antunes. “Vivemos numa sociedade machista em que o sistema insiste em nos caDa REPORTAGEM lar, seja no ambiente profissional ou doméstico. Quando uma mulher ocupa espaços de poder público, ‘calar’ essa mulher e/ou atropelar suas ações não é diferente. Estamos lutando, então, por um estado democrático de direito”, defende.

Segundo a organização, a expectativa é reunir cerca de 200 pessoas num protesto pacífico e simbólico. Toda infraestrutura de segurança e trânsito foram garantidos junto à Prefeitura.

A assistente social aposentada Tidda Vernucci também participa da organização do evento e vê no caso Marielle um importante ponto de unidade social: “Essa unidade dos coletivos feministas da cidade demonstrou que muitas pautas nos unem. E essa força conjunta veio pra ficar”, afirma.

Assim como as atividades da semana ‘Combinamos não Morrer’ foi abraçada pelo Conselho Municipal de Direitos da Mulher, ‘Anoitecer por Marielle’.

Da REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS