Ameaças lideram casos de violência doméstica

Delegada responsável pela DDM, Dálice Aparecida Ceron - Foto Arthur AVILA

De acordo com os dados divulgados pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em janeiro foram registrados 177 casos de violência doméstica, estando as ameaças em primeiro lugar no ranking, com 95 casos.

Embora pareça caso encerrado, a agressão contra mulheres ainda é uma das ocorrências mais comuns no meio policial.

Dhoje Interior

Em Rio Preto, de janeiro a agosto de 2017, foram registrados 1.999 mil casos e 3.141 mil atendimentos, orientações e denúncias.

No primeiro mês deste ano, a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), responsável por divulgar estes dados, registrou 177 casos de violência doméstica, sendo 95 de ameaça.
Em seguida, aparecem as lesões corporais dolosas, com 63 casos, seguidas de calúnia e difamação com 12 casos, vias de fato, 4 e perturbação, tentativa de homicídio e outros, um caso.

De acordo com a delegada responsável pela DDM, Dálice Ceron, em comum todos os casos apresentam o histórico de violência. “Dificilmente a vítima apresenta queixa do agressor pela primeira vez”, explicou.

Para ela, é muito difícil reverter os casos, devido a questões culturais. “O espírito machista na sociedade é uma construção antiga, portanto uma solução para reverter seria a conscientização das famílias”, disse.

No entanto, os dados recentes mostram que as lesões ocuparam o segundo lugar, estando as ameaças no topo. “Isto significa que cada vez mais os agressores estão temendo às leis, cumprindo as medidas protetivas e é importante que mesmo ameaçadas, as mulheres procurem a delegacia para evitar que a situação se arraste”, comentou a delegada.
(Colaborou Arthur AVILA)

 

Da REPORTAGEM