Aluna de zootecnia é encontrada morta com perfurações em Ilha Solteira

REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS – 09/04/2018: Corpo foi encontrado com golpes de faca na região do campus da UNESP, principal suspeito é o ex-namorado que está foragido, carro usado no crime foi apreendido.

A Polícia Militar conseguiu localizar o carro, um VW Gol preto com placa de Serviria-MS e também o primo do principal suspeito, o ex-namorado foragido, responsável pela morte da estudante em Zootecnia, Maria Júlia Martins Quirino da Silva, 17 anos. O crime aconteceu a poucos metros do campus da Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP), durante a tarde desta segunda-feira (09) em Ilha Solteira-SP (a 223 km de Rio Preto).

Segundo a PM local, Julia foi encontrada caída por volta das 13h40 na calçada com várias perfurações pela rua, Passeio Batalha, zona Norte do município que tem 26 mil habitantes (censo IBGE 2010). A garota natural de General Salgado estava matriculada desde o começo do ano nas aulas do primeiro ano da graduação, ela estava saindo da república onde vivia recentemente com outras colegas para a faculdade, quando segundo testemunhas teria sido abordada por um homem. A universitária tentou correr, mas acabou sendo atingida com golpes nas costas, abdômen e na região do peito. Foi socorrida mas não resistiu.

O suspeito detido com o carro usado na cena do crime foi abordado por militares em patrulhamento pela rodovia Euclides da Cunha (SP-310)  perto de uma propriedade rural. ele foi pelo delegado Miguel da Rocha Neto, que agora faz buscas pelo autor do violência contra a mulher, caso será registrado como feminicídio.

Peritos fizeram o isolamento da área para o levantamento de provas e corpo da acadêmica encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). O velório e sepultamento está previsto para ser celebrado em Buritama.

VIGÍLIA SILENCIOSA

Numa postagem divulgada nas redes sociais o Diretório Acadêmico XI de Abril informou que as informações do crime em questão, estão sendo apuradas pela polícia local segundo informe da delegada da Delegacia da Mulher, diversas testemunhas estão sendo ouvidas, e precisamos nesse momento demonstrar nosso luto e respeito pela família e memória da vítima não compartilhando imagens do acontecido.

Ações sobre o tema da violência contra mulher e outras nuances do machismo estão sendo elaboradas, reconhecendo que precisa oferecer um apoio direto a vítimas de ameaças para evitar novos casos como esse, que não são isolados como comprovam as notícias de casos similares de mortes de universitárias em outras cidades bem como em outras esferas da sociedade. Uma vigília silenciosa em memoria da estudante está marcada para acontecer na avenida Brasil Sul, 65, centro da cidade, às 20h00.

Faculdade decretou luto oficial de três dias, atividades estão suspensas no campus onde Maria Julia cursava, e também convoca toda comunidade para um ato de reflexão às 10h desta terça (10) no prédio central da faculdade.

DA REPORTAGEM:

Colaboração: Guilherme Ramos, às 19h13.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS