Altas temperaturas podem provocar a hipertermia em gatos

O verão ainda nem chegou, mas a primavera além das flores já trouxe com ela as altas temperaturas, sendo que os termômetros já têm atingido temperaturas próximas aos 40 graus. Se os humanos já sofrem com o forte calor, que pela região de Rio Preto é bem acentuado, os gatos também sofrem e podem ter hipertermia, que é a elevação da temperatura corporal do animal, com muito mais facilidade, devido à exposição ao sol.

Geralmente o animal com hipertermia pode apresentar os seguintes sintomas: vômitos, desorientação, cansaço, respiração intensa e aumento da frequência cardíaca. O problema pode levar o pet até a óbito. “O corpo do gato não tem a mesma capacidade que o nosso de liberar calor, então, aquece-se rapidamente. A hipertermia é um problema muito grave e que pode levar o felino até a óbito”, explica a médica veterinária da Equilíbrio e Coordenadora da Comunicação Científica, Bárbara Benitez.

A veterinária alerta que a hidratação do felino é essencial e pode ajudar a evitar a hipertermia. “Sempre deixe vasilhas de água fresca em casa e mantenha seu felino interessado em consumi-la: vale colocar pedras de gelo ou até instalar bebedouros fontes, pois gatos adoram água corrente”, destacou.

Também é importante lembrar-se de nunca deixar seu gato em lugares fechados, abafados e sem ventilação por muito tempo. Caso more em um apartamento, o ideal é instalar redes de proteção para poder manter sacadas ou janelas abertas durante sua ausência. “Certifique-se de que seu animal tem um lugar escondido do sol para se abrigar. A temperatura ideal do corpo de um felino está entre 37,5°C e 39,5°C, mas pode variar de acordo com o ambiente”, explicou.

Em dias muito quentes os gatos tendem a lamber-se mais do que o habitual, numa forma de tentar resfriar o corpo, pois ao lamberem-se a saliva fica na pele do felino e quando evapora ajuda a temperatura do corpo deles diminuir. “Os gatos costumam ser bastante cuidadosos e deixam rapidamente o ambiente ou procuram uma sombra quando a temperatura começa a subir, mas podem existir situações em que acabam presos em ambientes fechados por descuido do tutor ou porque se esconderam em um local de onde não conseguem sair”, afirmou a médica veterinária e coordenadora de Novos Projetos da Total Alimentos, Giovanna Nunes.

Os gatos que possuam pelagem muito densa e longa o interessante é considerar uma ‘tosa’, como aparar a barriguinha, para que o seu pet não sofra no calor forte. Mesmo que o felino tenha pelagem curta, uma boa dica nos dias quentes é escová-lo diariamente para remover a pelagem morta. O bichano vai adorar o carinho e isso contribuirá para refrescar e diminuir os problemas com bolas de pelo.

Caso o dono perceba que o pet apresenta sinais de hipertermia é necessário levar o animal para um lugar ventilado, oferecer água fresca e refrescá-lo com uma toalha molhada. Após isso é necessário levá-lo imediatamente para o veterinário. “A hipertermia é muito grave. O gatinho pode morrer se o tutor não realizar os primeiros cuidados e não contatar um médico veterinário o mais rápido possível”, concluiu a veterinária Giovanna Nunes.

 

Por Priscila Carvalho

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS