Acidentes causados por choque elétrico deixam população em alerta

Um homem de 41 anos morreu eletrocutado ao colher manga, na tarde da última terça-feira, em uma chácara, na Estância Bela Vista, em Rio Preto.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima foi contratada pelo dono da chácara para capinar o local. Durante o trabalho Francisco Fredson Lima Barros foi colher mangas e encostou em um fio.

Segundo os policiais, na chegada ao local, foi visto um fio de arame esticado a uma altura de 30 centímetros do chão e ao lado de uma tela de galinheiro. O fio esteva ligado em uma tomada de 110 v, na varanda da casa. Os militares acreditam que a vítima encostou a perna no fio ao colher as mangas e caiu de costas.

O responsável pela chácara informou que instalou o fio elétrico para proteger o galinheiro, porque o cachorro de estimação mata sua criação de aves. O proprietário disse ainda que o fio ficava ligado, somente quando ele não estava na chácara e que no momento não estava desligado porque ele havia acabado de chegar ao local.

Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) prestaram os primeiros socorros, mas a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. Equipes da perícia foram à chácara, o caso será investigado.

A Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) orienta sobre os riscos de proximidade das pessoas com rede elétrica em situações irregulares e em casos de trabalhos ou reformas. É preciso ter cuidados especiais com vergalhões, barras de ferro, réguas de alumínio e canos.

De acordo com os dados da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel) é preciso que profissionais redobrem os cuidados no desenvolvimento das tarefas. O levantamento aponta que 599 pessoas morreram em acidentes causados por choque elétrico, no Brasil, em 2016. Deste total 147 envolviam profissionais da construção civil e manutenção predial.

Para ampliar a conscientização da população sobre os riscos do convívio inadequado com a rede elétrica e evitar novos acidentes, a CPFL Energia iniciou, em julho deste ano, a Campanha Chega de Choque, iniciativa desenvolvida em 623 municípios nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul até dezembro deste ano.

“É muito importante não descuidar da segurança e estar consciente sobre os riscos dos trabalhos próximos às instalações elétricas. Nosso maior objetivo é reduzir ao máximo o número de acidentes e, acima de tudo, a preservação da vida”, afirma o gerente de Saúde e Segurança do Trabalho, Marcos Victor Lopes.

 

Por Mariane Dias

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS