A perigosa combinação entre celular e direção provoca cerca de 150 mortes por dia no país

Definitivamente a combinação entre celular e direção não traz bons resultados. De acordo com a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), o uso do celular é a terceira maior causa de mortes no trânsito no Brasil, ficando atrás apenas do excesso de velocidade e do consumo de álcool pelos motoristas.

A média nacional revela que são cerca de 150 óbitos por dia e quase 54 mil por ano, provocados pela utilização indevida do aparelho na hora de dirigir. A interferência causada pelo ato de falar ao telefone celular, mesmo com o dispositivo em viva voz, aliado a distração e a falta de concentração, podem motivar o aumento de acidentes de trânsito.

“Durante a direção são necessárias três funções essenciais, responsáveis pela segurança veicular: cognitiva, motora e a perceptiva. O uso do celular tira totalmente a atenção do motorista que perde essas funções, gerando a desatenção na direção veicular”, explicou Dirceu Rodrigues Alves, diretor de comunicação da Abramet e médico de tráfego do trânsito.

Alves afirma que durante a direção veicular é necessário 100% de atenção do condutor, porém as novas tecnologias, como GPS, celulares e TVs nos veículos, acabam levando a desatenção ao dirigir. “O uso de celular é feito de forma generalizada, sendo que 90 a 95% da população faz esse uso indevido enquanto dirige. O predomínio da desatenção é na faixa etária de 18 a 40 anos, que utilizam aplicativos de mensagem enquanto dirigem, o que é pior ainda e aumentam os riscos de acidente”, disse o médico de tráfego.

De acordo com o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Flávio Catarucci, qualquer tipo de elemento que traga distração do condutor na direção, aumenta o risco de acidentes, pois o condutor fica sem tempo hábil para fazer uma manobra evasiva, frear ou desviar para evitar um acidente. “Nós temos muitos acidentes provocados por falta de atenção, principalmente no trecho de pista dupla da BR-153, em Rio Preto. Existem várias interrupções da velocidade no fluxo do trânsito e se o motorista estiver distraído, o carro da frente para e ele acaba batendo na traseira. Os acidentes de colisão traseira a causa principal é a falta de atenção”, ressaltou Catarucci.

Por Priscila CARVALHO

 

 

 

SEM COMENTÁRIOS