A importância da prevenção por meio da vacinação

VACINAÇÃO - Especialistas alertam sobre a importância de manter a vacinação em dia, principalmente crianças e idosos

Vacinação não é somente coisa de criança e se manter prevenido com a carteira vacinal em dia é de extrema importância, que colabora inclusive para a erradicação de algumas doenças no país, como poliomielite e varíola.

A vacina é o meio mais eficaz de proteção contra certas doenças infecciosas e agem estimulando o sistema imunológico a produzir anticorpos para combater essas enfermidades. Muitos males que são cobertos por esse sistema de imunização estão erradicados no Brasil, mas isso não significa que é possível deixar de vacinar tanto as crianças como os adultos.

De acordo com a coordenadora da Unidade de Vacinação da Unimed Rio Preto, Priscila Vicentin, muitos ainda acreditam erroneamente que vacina é coisa somente de criança. “Vacina é um assunto muito polêmico porque as pessoas sempre acreditam que a vacina é coisa de criança e isso é um mito muito errado. Os adultos também têm vacinas específicas pra cada idade e que ajudam a prevenir doenças muito graves, como por exemplo, pneumonia e herpes. Vacinação é importante em todas as fases da vida”, destacou Vicentin.

A vacinação pode, inclusive auxiliar na redução dos gastos do Sistema Único de Saúde (SUS) em até R$4,7 bilhões. Isso é o que aponta uma análise publicada no Jornal Brasileiro de Economia, que mostrou que a vacinação contra a dengue poderia reduzir estes gastos, sendo que até 80% dos casos poderiam ser evitados com essa prevenção, caso a vacina contra a dengue já fosse disponibilizada no SUS. “A dengue matou muita gente ano passado e hoje já tem uma vacina disponível para isso. Então quanto se gasta com a doença, tratamento da dengue e o quanto custa a vacina? É extremamente importante a vacinação”.

Segundo a coordenadora, a vacina contra a dengue ainda é algo novo na saúde, mas que já foi amplamente testada. No momento esta vacina só está disponível em hospitais particulares a preços que cheguem à faixa dos R$300. Ela é indicada a pessoas de 9 a 45 anos, sendo aplicada em três doses, em intervalos de seis meses. “Tem uma vacina pública da dengue sendo estudada, ainda em fase de testes, mas aproximadamente em dois anos ela deva ser lançada no mercado público”, concluiu Vicentin.

 

Por Priscila Carvalho

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS